Quarta-Feira, 18 de Março de 2020 - 15:44 (Tecnologia)

L
LIVRE

VÍDEO GAME: SONY REVELA DETALHES DO PLAYSTATION 5

Diferentemente da expectativa de todos, a transmissão focou no âmbito técnico, em abordagem interessante a desenvolvedores e engenheiros


Imprimir página

Conforme o combinado, a Sony realizou nesta quarta-feira (18) uma apresentação com o objetivo de revelar novas informações sobre o PlayStation 5, que, caso não tenha alteração no cronograma, será lançado ainda em 2020, assim como seu concorrente direto, o Xbox Series X. Diferentemente da expectativa de todos, a transmissão, comandada por Mark Cerny, líder de engenharia da Sony, ficou mais no âmbito técnico, numa abordagem que interessa muito mais os desenvolvedores e engenheiros do que  público final.

Claramente a Sony está adotando uma estratégia completamente diferente da aplicada pela Microsoft em relação às informações sobre seu novo console. A companhia ainda está no campo das questõs mais técnicas, ao contrário da gigante de Redmond que já fez questão de escancarar o design do produto, aliado com as revelação de aparatos mais técnicos, como a CPU, GPU utilizada, etc.

Na apresentação realizada hoje, intitulada The Road of PS5, o foco foi esmiuçar detalhes da arquitetura do novo console da Sony, e nada melhor do que alguém da área técnica para cumprir esse papel. Cerny explicou que o PS5 segue a filosofia de facilitar a vida vida dos desenvolvedores, entregando um sistema que esteja em acordo com as pretesões daqueles que realmente fazem com que um console se torne icônico.

Sem dúvidas, um dos pontos técnicos mencionados que interessam tanto os desenvolvedores e também o consumidor final foi a confirmação e a forma como o PS5 irá trabalhar com SSDs, as unidades de estado sólido. Cerny destacou que o SSD que equipa o PS5 tem 825 GB de capacidade e a velocidade de transferência é de 5,5 GB/s – podendo alcançar 9 GB/s sem compressão. A unidade é conectada ao SoC via PCIe 4.0.

Evidentemente o console também aceita expansão via unidades externas, porém a própria apresentação deixou bem claro que a escolha da unidade deve ser feita com cuidado, já que você pode gerar um gargalo na performance geral ao partir, por exemplo, para uma unidade baseada em PCIe 3.0, com taxa de transferência de 3.5 GB/s. O recomedado são unidades PCIe 4.0, no entanto, não ficou claro se o console irá aceitar qualquer modelo ou somente expansão via unidades proprietárias.

Passando agora para a parte central do hardware do PlayStation 5. O console, assim como o Xbox Series X, caminha por soluções personalizadas da AMD. A CPU é baseada na arquitetura Zen 2 e a GPU em RDNA 2, tudo dentro do esperado.

O que acabou surpreendendo foram os números apresentados. A GPU do PS5 conta com 36 unidades computacionais RDNA 2, enquanto o Xbox Series X entrega 52, porém ha uma vantagem em termos de clock para a Sony: 2,23 GHz contra 1,8 GHz do Xbox Series X. Claro, isso não números frios, é sempre preciso salientar que o fator otimização do desenvolvimento dos games, principalmente em exclusivos, surpreende no resultado final, porém, mais uma vez, a Microsoft, em hardware bruto, entrega um console mais “parrudo”. Em termos de GPU, a do PS5 entrega 10.2 Teraflops (contra 12 Teraflops do Xbox Series X).

O processador octa-core do PS5 conta com frequência variável, alcançando no máximo 35 GHz. O PS5 usará a tecnologia de ajuste de clock dinâmico, semelhante às funções do Ryzen 4000 Mobile.  A variação acontece de uma forma que propricie uma balanço entre performance e e eficiência energética.

Jogos de ação em mundo aberto, por exemplo, podem utilizar um clock menor de 2,23 GHz e mais Compute Units para funcionar de forma estável, mantendo estável a temperatura do console. .No entanto, em jogos mais modestos em termos de requisitos, você pode mudar para 3,5 GHz e executar menos compute units e entregar um desempenho similar.

Especificações do PlayStation 5

- CPU: 8x Zen 2 núcleos a 3,5 GHz (frequência variável)

- GPU: 10,28 TFLOPs, 36 UCs em 2,23 GHz (frequência variável)

- Arquitetura da GPU: RDNA 2 personalizado

- RAM: 16 GB GDDR6 / 256 bits

- Largura de banda da memória: 448 GB / s

- Armazenamento interno: SSD de 825 GB

- Operações de entrada e saída por segundo: 5,5 GB / s (direto), típico 8-9 GB / s (compactado)

- Armazenamento adicional: NVMe SSD Slot

- Armazenamento externo: Suporte a HDD USB

- Unidade óptica: Unidade Blu-ray 4K UHD

Grande atenção também ao setor de áudio. O PlayStation 5 é capaz de lidar com áudio 3D graças ao hardware dedicado. Cerny admitiu que o PlayStation 4 não tratou desse aspecto o suficiente, mas com a nova geração o objetivo é oferecer áudio espacial, o que permite aos jogadores distinguir com precisão de onde vem exatamente um som, ponto extremamente interessante, principalmente para aqueles que irão o PlayStation VR. Esse chip dedicado do PS5 faz uso do algoritmo uso de algoritmos HRTF, numa versão modificada, produzida pelo próprio Cerny. A tecnologia foi nomeada de Cerny HRTF.

O PlayStation 5 também terá compatibilidade com Geometry Engine e Ray Tracing. A aplicação do famigerado traçado de raios em tempo real pode vir de diversas maneiras, desde som até iluminação global, sombras, reflexos e até o game inteiro mapeado, deixando de lado o raster.

A retrocompatibilidade também está garantida, porém com uma ressalva: o PS5 não suportará todos os jogos do PS4. A compatibilidade não é imediata, exigirá testes preliminares jogo a jogo. A Sony planeja oferecer apenas os 100 títulos mais jogados no PS4 em seu programa de compatibilidade com versões anteriores no lançamento.

Diferentemente da Microsoft, a Sony não entrou no mérito de resolução/taxa de quadros. A expectativa é que o console lide com o 4K a 60, mas nada em relação a isso foi mencionado. Infelizmente, para o consumidor final o PlayStation 5 continua obscuro.

Fonte: William r. plaza / Hardware

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias