Quinta-Feira, 20 de Dezembro de 2018 - 08:09 (Eleições 2018)

L
LIVRE

VÍDEO: DEPUTADOS ELEITOS TROCAM SOCOS EM EVENTO DE DIPLOMAÇÃO EM MINAS

Placa “Lula Livre” de deputada eleita do PT deu início à confusão. Gritos de “Bolsonaro” e a favor do petista também tomaram conta do evento


Imprimir página

A cerimônia de diplomação dos deputados e governador eleito em Minas Gerais, realizada nesta quarta-feira (19/12), apresentou troca de socos por parte dos políticos. O evento, realizado no Palácio das Artes, ainda teve gritos de “Lula Livre” e “Bolsonaro” dos convidados que acompanhavam a diplomação.

Os primeiros protestos partiram da plateia quando a vereadora Áurea Carolina (PSOL), deputada federal eleita, se encaminhou para receber o diploma mostrando placa com o nome da colega vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco, assassinada em março, e foi vaiada.

Antes disso e ao longo de parte da cerimônia, a deputada estadual eleita Beatriz Cerqueira (PT), segurou, sentada, uma placa escrita “Lula Livre”. O cerimonial pediu para que a plateia e eleitos não se manifestassem. A placa de Beatriz foi, então, retirada por uma funcionária, levando a política a reclamar à administração. Nesse momento, o deputado estadual Rogério Correia (PT), eleito deputado federal, pegou a placa, levantou-a e se dirigiu à ponta do palco.

O deputado federal eleito Cabo Júnior Amaral (PSC), que acabara de ser diplomado e ainda estava de pé, tentou tomar a placa de Correia. Os dois, então, trocaram socos e foram separados por outras pessoas que estavam no palco. O governador eleito chegou a ser retirado e a sessão foi suspensa.

Ao longo de toda a cerimônia, candidatos, ao se levantarem para receberem o diploma, faziam o “L” de Lula com a mão, ou mostravam placa com “Lula Livre”. Outros faziam gesto com as mãos imitando arma. Em todos, aplausos e vaias. Ao final, o ex-deputado federal Virgílio Guimarães (PT), eleito deputado estadual, se levantou para ser diplomado, fez o “L” e, em seguida, mostrou um pequeno papel escrito “paz”.

O deputado Rogério Correia afirmou que vai acionar a justiça contra Cabo Júnior Amaral dentro do Estatuto do Idoso. “Eu estava com uma placa e ele tentou arrancar de mim. É um deputado que deve ser neofascista”. Já o Cabo replicou que “não estava na vez dele de ser diplomado”, em referência a Correia. Segundo Beatriz Cerqueira, “o parlamento não é lugar de tomar nada de ninguém”. A deputada eleita quer a identificação da funcionária que tomou a placa que mantinha durante a sessão. Segundo informações do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), não há proibição para este tipo de manifestação durante a cerimônia.

Em discurso anterior à confusão, o governador eleito Romeu Zema (Novo), disse que todos “sem exceção” terão que fazer sacrifício diante das condições financeiras do Estado. “São vários os desafios que iremos enfrentar. Para tanto, buscaremos soluções e um novo modelo de gestão. Austeridade e meritocracia serão seguidos à risca”, afirmou.

Veja o vídeo:

Fonte: 015 - Metrópoles

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias