Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019 - 14:07 (Política)

L
LIVRE

VEREADORA ADA DANTAS É CONTRA REAJUSTE DE SALÁRIO PARA VEREADORES DE PORTO VELHO

Atualmente, o salário bruto de cada vereador é de R$13.951,00 e o do presidente da Câmara, Edwilson Negreiros é de R$20.193,00.


Imprimir página

Está sendo articulado nos bastidores da Câmara Municipal de Porto Velho (CMPV) um projeto de lei que prevê aumento salarial para os 21 parlamentares municipais. Atualmente, o salário bruto de cada vereador é de R$13.951,00 e o do presidente da Câmara, Edwilson Negreiros é de R$20.193,00.

A vereadora Ada Dantas Boabaid (PMN), ao saber do burburinho, imediatamente se declarou contrária ao aumento salarial. A parlamentar afirmou que não há necessidade alguma em gerar mais gastos para o município, sendo que cada vereador recebe um salário com valor satisfatório e, destacou ainda, que o valor de pouco mais de R$ 2 mil reais que cada vereador poderá receber caso o projeto seja aprovado, poderia ser utilizado pela prefeitura em ações que melhores a vida dos munícipes, seja na saúde, educação, infraestrutura, urbanização e até mesmo cultura.

Destaca-se ainda que, com a aprovação do novo salário para os vereadores, haverá o efeito cascata e, consequentemente, os salários dos secretários e diretores municipais, além do prefeito e vice, serão aumentados, podendo majorar ainda o valor recebido por assessores nos próprios gabinetes. “Não acho justo que os secretários e sub secretários da prefeitura de Porto Velho receba mais do que um vereador, afinal, o vereador cuida de todas as demandas do município, e o secretário apenas de uma pasta em específico”, disse Ada Dantas. Atualmente, o salário de um secretário é de aproximadamente R$16 mil reais.

“Temos verba de gabinete de R$15 mil reais para uso de divulgação em rádio, televisão, combustível, assessoria jurídica e contábil, além da quantidade de 12 assessores comissionados, o que já é suficiente para que nós, vereadores possamos trabalhar. Não vejo necessidade de reajuste e que se, for aprovado pela Câmara, é uma medida precipitada, tendo em vista o país estar em situação de crise, e em Porto Velho não é diferente”, salientou a vereadora.

O projeto deverá ser colocado para votação no segundo semestre deste ano.

Fonte: 015 - Assessoria

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias