Quinta-Feira, 08 de Agosto de 2019 - 15:50 (Comercio e Industrias)

L
LIVRE

VENDAS DO DIA DOS PAIS TERÁ CRESCIMENTO DE 3,6% EM RONDÔNIA

A Assessoria Econômica da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia - Fecomércio/RO, aponta que deve haver um crescimento de 3,6% nas vendas do Dia dos Pais, movimentando cerca de R$ 45 milhões na economia do estado.


Imprimir página

Para o Presidente em Exercício da Fecomércio, Gladstone Frota, "O crescimento das vendas é um bom sinal, principalmente, com a sinalização do governo de que a taxa de juros deve cair e com a liberação do FGTS a partir de setembro, o que deve melhorar a atividade econômica".

Vestuário, roupas em geral, são apontadas como a opção preferida dos consumidores (56,2%  pretendem dar esse tipo de presente); depois surgem os calçados e acessórios (43,8%); perfumes e cosméticos (28,3%); smartphones (12,6%); joias e bijuterias (10,8%); livros e e-books (6,6%); e, por último, estão computadores ou tablets, com 4,8% da preferência.

Dados Nacionais

De acordo com pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em todo país a alta será de 2,1% nas vendas, com movimentação financeira de R$ 5,6 bilhões, já descontada a inflação, o correspondente a 4,5% de todo o faturamento esperado pelo setor no mês de agosto.  Este será o terceiro ano consecutivo de crescimento, porém, levando-se em conta o desempenho dos últimos anos (+3,6% em 2017 e +4,1% em 2018) é o de menor crescimento, o que demonstra que o setor ainda não retomou o ritmo de antes da crise. A estimativa da CNC é que sejam gerados 11,9 mil postos de trabalho. No ano passado, o setor demandou 9,6 mil trabalhadores temporários. Em Rondônia a estimativa é que sejam gerados 760 postos de trabalho voltados exclusivamente para a data, mas, estes dados não incluem os trabalhadores temporários do Porto Velho Shopping.

Hiper e supermercados liderarão as vendas

A pesquisa aponta que os segmentos de hiper e supermercados serão o destaque positivo da data, com 40,4% do total de vendas, o equivalente a R$ 2,1 bilhões. Em seguida, vêm o ramo de artigos de uso pessoal e doméstico, como utilidades para o lar e eletroeletrônicos (R$ 829,1 milhões ou 15,6% do total), e o de vestuário e calçados (R$ 683,4 milhões ou 12,9% do total).

Fonte: 010 - Suelen Viana

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias