Segunda-Feira, 23 de Setembro de 2019 - 17:38 (Geral)

L
LIVRE

SERVIDORES SÃO CAPACITADOS PARA LIDAR COM SITUAÇÕES DE CRISE NO SISTEMA PRISIONAL

O curso vai até o dia quatro de outubro e é voltado a agentes penitenciários estaduais, agentes penitenciários federais, policiais militares, bombeiros militares e policiais civis.


Imprimir página

Estar preparado para situações adversas que ocorrem sem previsão dentro do sistema prisional, buscando agir da forma correta, com base nas leis, são alguns dos preceitos da Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejus). E para preparar os servidores que atuam neste tipo de situação, a Sejus, em parceria com a Escola de Estudos e Pesquisas Penitenciárias (Esep), iniciou na segunda-feira (23) o curso de “Negociador Prisional”.

“A ideia é transmitir conhecimento para que eles tenham condições, no caso de uma rebelião ou em uma situação com refém, de agir e saber como apaziguar a situação, sem deixar a emoção falar mais alto”, destacou um dos instrutores tenente coronel Marcos Freire.

O curso vai até o dia quatro de outubro e é voltado a agentes penitenciários estaduais, agentes penitenciários federais, policiais militares, bombeiros militares e policiais civis. A capacitação está sendo ministrada por quatro instrutores: tenente coronel pm Marcos Cleiton Freire Lopes, major Wilton Nascimento Amorin, capitão Renato Acácio Canhoni Surfi e capitã Cláudia Cabral da Costa, através da  em parceria com a Sejus.

A temática do curso aborda aspectos jurídicos sobre a negociação de crises, programação neurolinguística, psicologia aplicada à negociação em crises, doutrina de gerenciamento de crises entre outros tópicos.

O servidor Caio Custódio salienta que, além de ser um curso importante para a sociedade, capacita e protege o próprio servidor, que atua diante de uma crise por exemplo. “Dentro do sistema prisional nós trabalhamos com vidas, por isso é importante que venhamos estar preparados para qualquer situação. Já tive experiências em rebeliões e sei da tamanha importância da negociação”, concluiu.

Fonte: 015 - Secom - Governo de Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias