Quinta-Feira, 21 de Março de 2019 - 09:34 (Meio Ambiente e Ecologia)

L
LIVRE

SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL INDICA ESTABILIDADE DOS NÍVEIS DO RIO MADEIRA

Em Porto Velho, provavelmente, o nível do rio irá permanecer entre 16,70 e 16,90 metros, já no distrito de Abunã, provavelmente, apresentará estabilidade em torno da cota de 22,49 m.


Imprimir página

O Sistema de Alerta Hidrológico da Bacia do Rio Madeira, operado pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), através do Boletim Extraordinário divulgado hoje, dia 20/03, indica previsão de que o nível do rio Madeira mantenha estabilidade em torno das cotas atuais, nos próximos dias. Em Porto Velho, provavelmente, o nível do rio irá permanecer entre 16,70 e 16,90 metros, já no distrito de Abunã, provavelmente, apresentará estabilidade em torno da cota de 22,49 m.

Na semana passada, o boletim indicou redução dos níveis, o que de fato foi observado. Nos últimos sete dias, o nível do rio Madeira em Porto Velho caiu 40cm. Em Abunã, a queda foi de 11 cm. O rio Mamoré em Guajará-Mirim, subiu 6 cm no mesmo período e está mais próximo da cota de inundação, a 14 cm.

Conforme explica o engenheiro da CPRM Hérculys Pessoa e Castro, um dos responsáveis pelo Sistema de Alerta Hidrológico da Bacia do Rio Madeira, o rio Mamoré, principal formador do rio Madeira, seguirá o seu comportamento normal, que é atingimento do seu pico de meados para o fim de abril. Ele relata que na última semana foram registradas chuvas consideráveis na área drenagem do rio Mamoré, algo que reforça esta tendência de subida do rio. “Considerando as chuvas monitoradas e as previstas, a expectativa é que o nível do rio mantenha certa estabilidade em Porto Velho e Abunã e leve subida em Guajará-Mirim. Ainda não se pode dizer que o rio Madeira entrou em período de recessão, pois há a possibilidade de repiquetes até meados de abril”, avaliou.

Os dados hidrológicos utilizados nos boletins são provenientes da Rede Hidrometeorológica Nacional de responsabilidade da Agência Nacional de Águas (ANA), operada pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e demais parceiros. As previsões apresentadas são baseadas em modelos hidrológicos e estão sujeitas às incertezas inerentes aos mesmos.

Fonte: 015 - Imprensa CPRM

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias