Quinta-Feira, 09 de Abril de 2020 - 16:08 (Saude)

L
LIVRE

RONDÔNIA TEM 218 TRANSPLANTADOS SOB CUIDADOS PARA EVITAR CONTÁGIO PELA COVID-19

De acordo com a Fundação Pró Rim, entidade de apo é de que os transplantados devem adotar umas medidas de proteção


Imprimir página

Consideradas do grupo de risco mais suscetível à Covid-19, por apresentarem um quadro de baixa eficiência imunológica (imunossupressão), as pessoas transplantadas devem refazer a programação de seu cotidiano e seguir com rigor as recomendações universais de autocuidado e prevenção ao coronavírus, como a higienização das mãos e a etiqueta da tosse, duas providências essenciais.

Mas não é só isso. De acordo com a Fundação Pró Rim, entidade de apo é de que os transplantados devem adotar as seguintes medidas de proteção: 1) evitar viagens e aglomerações em eventos socioculturais, 2) manter hábito frequente de higienização das mãos, 3) evitar contatos físicos desnecessários como aperto de mão, beijos e abraços, e 4) uso de máscaras simples, cobrindo nariz e boca, em ambientes sociais ou hospitalares.

Equipe da Central de Transplantes coordenada pela médica nefrologista Karoline Cavalcanti optou por enviar uma Nota Informativa a cada um dos 218 transplantados de Rondônia

Essas, na verdade, são algumas medidas básicas de prevenção que servem para todas as pessoas em tempo de coronavírus, e em especial para os transplantados. De acordo com o médico portovelhense, Gabriel Rodrigo, é fundamental manter esses cuidados, entretanto, em caso de febre igual ou superior a 37,8°C, o paciente deve ligar para a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência e solicitar informações de como proceder. Ele informou também que o Governo de Rondônia, por meio da Secretaria Estadual da Saúde (Sesau) e Agência de Vigilância em Saúde (Agevisa) mantêm um completo programa de orientação e informação sobre o novo coronavírus através do Disque Corona, uma agenda com os telefones da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Velho e de todos os órgãos gestores de saúde em todos os municípios de Rondônia, colocados à disposição das pessoas para se informar e se orientarem sobre o coronavírus e onde buscar socorro.

218 TRANSPLANTADOS EM RONDÔNIA

Complementando o conjunto de informações e orientações fundamentais para as pessoas transplantadas, a médica Ana Karoline Nóbrega Cavalcanti, do Serviço de Transplante Renal da Sesau, demonstrando grande preocupação com a saúde desses pacientes, optou por divulgar, através da Nota Informativa 1/2020STR/GCTE/SESAU, orientações dirigidas aos 218 pacientes transplantados renais de Rondônia, fazendo chegar a cada um a informação adequada de como se prevenir em meio a disseminação do coronavírus.

De acordo com a Nota, assim como orienta a Fundação Pró Rim, as medidas básicas de prevenção são as seguintes: “Evitar viagens, aglomerações, eventos e comparecimento não necessário ao hospital; higienizar as mãos frequentemente lavando com água e sabão; utilizar álcool em gel e evitar contato físico; e utilizar máscaras mesmo sem sintomas de gripe”.

A Nota também indica que em caso de febre ou qualquer sintoma respiratório o paciente (transplantado) deve ligar para o celular do plantão (69-98491-3262) para receber atendimento especializado. Prevê também que os atendimentos ambulatoriais na Policlínica Oswaldo Cruz (POC) estão restritos apenas a pacientes sintomáticos (indicativo de que está doente), com a exigência do uso de máscara. Já os pacientes assintomáticos (que não apresentam sintomas) vão ter que aguardar para reagendar as consultas quando as atividades voltarem ao normal.

CANCELAMENTO DE CONSULTAS

A Nota divulgada pela médica Karoline Cavalcanti também prescreve que “Pacientes com necessidade de receita ou laudo deverão entrar em contato com o Ambulatório (3216-2285) para devidas providências. A retirada deverá acontecer de preferência em horários de menor movimento (ou peça para algum familiar retirar); Com intuito de reduzir o movimento e minimizar aglomeração de pacientes imunossuprimidos com a demanda de atendimentos da Policlínica Oswaldo Cruz, foram canceladas consultas de pacientes com mais de um ano de transplante e que encontram-se estáveis, ficando o ambulatório somente nas terças e quintas-feiras; A partir do dia 19/03, às 7h, as coletas de exames dos pacientes transplantados serão realizadas no consultório D42 bloco Dendê da POC. Não há necessidade de pegar fila para retirar senha. Vá direto ao ponto de coleta”.

A mesma Nota Informativa prevê também que estão cancelados os atendimentos aos pacientes que estão em pré-avaliação para inscrição em fila, os atendimentos psicológicos, de nutrição e serviço social, e por fim, que os pacientes que dependem de atestado médicos devem se informar pelo telefone 3216-2285, para que seja programada a emissão do documento e horário da retirada.

De acordo com a médica nefrologista Karoline Cavalcanti, tudo que está sendo feito para proteção desse grupo de pacientes atende a um comando do Governo de Rondônia, por meio do secretário da Saúde, médico Fernando Máximo, e também ao protocolo de recomendações da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), diante do cenário de pandemia do coronavírus, causador da Covid-19.

De outro giro, conforme explicações da médica Luciane Deboni, da Fundação Pró Rim, todas essas medidas – uso de máscaras, e higiene das mãos, etc – são fundamentais para se prevenir do contágio da Covid-19 pelos transplantados, fazendo ver que essas mesmas recomendações se estendem também aos familiares desses transplantados, mesmo os que não apresentam sintomas, mas precisam sair de casa. A médica garante que a vacina contra a gripe influenza é importante e deve ser tomada, porém, com a observância de toda a segurança possível ao se deslocar até o ponto de vacinação.

10 ANOS DE TRANSPLANTE

Transplantado havia mais de 10 anos, o estudante de engenharia ambiental e sanitária, Francisco José do Nascimento, 60, de Porto Velho, disse que como qualquer cidadão mantém regularmente todos os cuidados e que segue as orientações dos serviços de saúde para evitar a contaminação pelo coronavírus, mas que leva uma vida normal, e que só está em casa por decisão da empresa em que trabalha que suspendeu suas atividades.

Mais conhecido no meio da imprensa como Zezinho (do Alto Madeira) ele entende que é necessário manter todos os cuidados para evitar o contágio e sua disseminação.

ISOLAMENTO DOS TRANSPLANTADOS

A orientação dos especialistas é de que os pacientes transplantados devem ficar em casa em ambientes arejados com portas e janelas abertas. No ambiente do lar devem evitar contato próximo com familiares (beijo, abraço, toque e relação sexual), principalmente em relação àqueles que saem de casa. Tomar cuidado com crianças que frequentam escolas e creches, eis que elas podem ser transmissoras do vírus sem que apresentem sintomas.

Também em casa deve ser evitado, proibido, o compartilhamento objetos como talheres, copos, garrafas de água, chimarrão e tereré. Da mesma forma é recomendado mais rigor e aumento da frequência de limpeza dos ambientes e superfícies de maior contato das mãos, como corrimões, maçanetas, interruptores, etc. Esses cuidados são fundamentais para que os transplantados e suas famílias não se contaminem ou disseminem o novo coronavírus (covid-19).

Fonte: 015 - Secom - Governo de Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias