Segunda-Feira, 29 de Abril de 2019 - 15:11 (Agronegocios)

L
LIVRE

RODADA DE NEGÓCIOS DE PORTO VELHO ATENDEU A EXPECTATIVA DOS PRODUTORES DA REGIÃO

A quantidade e qualidade dos stands fez o portovelhense lembrar os tempos da antiga Exposição Agropecuária de Porto Velho (Expovel).


Imprimir página

A Rodada de Negócios de Porto Velho recebeu um grande número de agricultores locais e vindos dos distritos e municípios próximos. Os produtores visitaram os stands dos expositores instalados no parque dos tanques, onde aconteceu a rodada, feira prévia da Rondônia Rural Show. A quantidade e qualidade dos stands fez o portovelhense lembrar os tempos da antiga Exposição Agropecuária de Porto Velho (Expovel).

Grande variedade de máquinas e equipamentos

As lojas de produtos do segmento rural colocaram à disposição dos visitantes uma larga variedade de máquinas equipamentos e insumos agrícolas, desde os últimos lançamentos de ceifadeiras de grãos que custam mais de milhão de reais à máquinas mais simples usadas em micro propriedades, onde se cultiva cheiro verde e outras hortaliças de ciclo muito curto.

Umas das grandes virtudes das rodadas de negócios é o fato dela reunir em um mesmo espaço produtores rurais, comerciantes, agentes financeiros e instituições de assistência técnica, que elaboram planos de crédito para as mais diversas atividades agrícolas, da bovinocultura à pesca de captura e cultivo de grãos.

A equipe da Emater-RO no distrito de Nova Califórnia veio para a Rodada de negócios juntamente com 42 produtores da Ponta do Abunã, todos interessados em conhecer as vantagens e oportunidades de investimentos em tecnologia de produção oferecidas no evento. Entre eles o agricultor Selso Rud Reck produtor de rambutã, fruta exótica da família da pitomba, muito apreciada.

O agricultor Selso Reck veio para a feira com uma proposta pronta, para financiar a compra de um caminhão baú refrigerado. O objetivo é o transporte de suas frutas da lavoura até os pontos de venda, distribuídos entre os municípios de Porto Velho e Ji-Paraná. Atualmente ele produz por safra 25 toneladas de rambutã, e vende sem muita dificuldade, nos municípios citados, mas para ampliar a produção e distribuir as frutas adequadamente, precisa do caminhão com baú refrigerado, por se tratar de produto perecível.

Depois de ver os equipamentos disponíveis na feira e ouvir o técnico Ivan Macedo, o produtor decidiu encaminhar seu projeto de crédito para o Banco da Amazônia, mas apenas para a compra do caminhão, a um custo de R$146 mil, sem o baú, que deverá ser adquirido à parte com recursos próprios.

Fonte: 015 - Secom - Governo de Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias