Segunda-Feira, 25 de Maio de 2020 - 17:53 (Coronavírus)

L
LIVRE

ROCHA REPUDIA LOCKDOWN, MAS DIZ QUE ATÉ 4 DE JUNHO TODOS OS LEITOS ESTARÃO OCUPADOS EM RO

Ele ainda comentou sobre um estudo que desenha nítido caos no atendimento às vítimas em Rondônia, com leitos totalmente ocupados.


Imprimir página

Por Wanglézio Braga
Da redação do News Rondônia

O governador Marcos Rocha, do PSL, usou as redes sociais na noite de ontem (24) para reafirmar sua posição sobre a não implantação do “lockdown”, que é a restrição à circulação de cidadãos com bloqueio total de uma região, uma medida mais extrema durante pandemia. Ele ainda comentou sobre um estudo que desenha nítido caos no atendimento às vítimas em Rondônia, com leitos totalmente ocupados.

Rocha diz que “vem trabalhando muito, sempre conversando com o Zé Jodan (vice-governador) e principalmente com o doutor Fernando Máximo, Secretário de Saúde, para buscar novos leitos. A gente conseguiu aumentar o número de leitos no estado, ou seja, temos vários leitos para tratar especificamente da covid-19”.  

Na ocasião, o governador pediu para que a população possa cumprir regras de distanciamento social tendo em vista que os novos estudos sobre a pandemia em Rondônia não são animadores. Segundo ele, um novo estudo aponta que até o dia 04 de junho “teremos 100% dos leitos ocupados no estado. Até 31 de maio, graças aos trabalhos que fizemos, teremos 35 novos leitos. Mas, mesmo que tenhamos esses novos leitos, nós teremos todas as vagas preenchidas”.

Rocha segue o seu roteiro defendendo a não utilização do dispositivo Lockdown, como ocorre em estados como o Amapá (AP), Maranhão (MA), Pará (PA) e Ceará (CE). Segundo o executivo, a medida não traria benefícios à sociedade, porém, pediu cautela da população em relação ao distanciamento social e tornou a lembrar da falta de leitos que pode ocasionar no futuro um colapso no sistema da saúde.

“Eu optei por não fazer o lockdown! Eu acredito que ele traga algum benefício para a sociedade. Logo no início, quando surgiu o trabalho, tivemos que parar tudo. Foi uma ação de todos os governadores e cinco dias depois comecei a abrir alguns negócios pensando para manter o equilíbrio. Mesmo que não faça, é importante manter o distanciamento social. Nós viemos pedindo para que façam o distanciamento. Sem isso, teremos até o dia 04 de junhos todos os leitos ocupados (...) Aqui não somos adeptos ao lockdown, queremos o fortalecimento da economia”, disparou.

Enquanto falava, a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e a Secretaria de Estado da Saúde (SESAU) divulgavam os dados referentes ao coronavírus (Covid-19). Rondônia já registrou 3.201 testes positivos com 121 óbitos, 277 pessoas estão internadas. As internações estão dividas da seguinte maneira: Na Rede Estadual de Saúde (192), Pacientes na Rede Privada (81) e Pacientes na Rede Municipal de Saúde (4).

“Eu não gosto de tá falando coisa ruim. Mais ontem a gente teve 115 óbitos. De ontem para hoje já foram mais seis pessoas. Então, é importante que todos façam a adesão do ‘Programa todos por Rondônia’! O problema do Coronavírus é que ele se alastra muito rápido, não dando chances para dar a atenção devida. Hoje precisamos estar unidos para salvar a vida dos rondonienses e no futuro darmos às mãos como antes”, comentou.

Fonte: News Rondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias