Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020 - 16:39 (Internacional)

L
LIVRE

PROFESSOR SOLTEIRO ADOTA O PRÓPRIO ALUNO QUE PRECISAVA DE TRANSPLANTE

Ele conheceu Damien, de 12 anos, em 2018, quando o garoto contou que não voltaria à escola após o feriado de Ação de Graças por ter glomerulosclesrose segmentar focal.


Imprimir página

Um professor que nunca pensou em ser pai resolveu adotar o próprio aluno que precisava de um transplante de rins, mas não podia entrar na fila de espera de órgãos porque não tinha família.

Finn Lanning leciona matemática na Academia AXL, em Aurora, no Colorado, EUA. Ele conheceu Damien, de 12 anos, em 2018, quando o garoto contou que não voltaria à escola após o feriado de Ação de Graças por ter glomerulosclesrose segmentar focal, uma doença auto-imune que havia danificado seriamente seus rins.

E para piorar, Damien também vivia em um orfanato havia quatro anos. “Ele me disse que tinha que deixar o lar adotivo em que estava morando e estava se mudando para o hospital porque não tinham outro lugar para ele. Lembro-me de ficar sentado com ele e sem saber o que dizer”, contou o professor Finn Lanning.

Empatia

Depois que Damien deixou a escola, Lanning passou a visitá-lo no Centro Médico de Luke, Presbyterian/ St de Denver.

Os rins do menino estavam paralisados. Ele estava em diálise 12 horas por dia e precisava desesperadamente de um transplante de rim.

Damien também tinha sido retirado na lista de espera por órgãos porque não tinha família, nem um lar fixo.

Foi então que o professor resolveu assumir a adoção de Damien em 2019 e abrir caminho para o transplante bem-sucedido que aconteceu em junho do mesmo ano.

“Eu nunca pensei que acabaria sendo pai”, afirmou.

Apesar de algumas complicações após a cirurgia, o garoto já voltou à escola onde pratica esportes e natação e passou o último natal com a família de Lanning.

“Você meio que perde a esperança depois de um tempo, quando está morando no hospital. Mas agora posso ir à escola, fazer amigos e viver uma vida boa”, comemorou o rapaz.

Carinho de pai

Lanning passou por um treinamento intensivo para aprender a administrar a diálise diária de 12 horas do menino e ficou encarregado de tudo, desde comprar o creme dental certo para ele até agendar consultas médicas.

Lanning chegou até a fazer vaquinha online pra ajudar nas despesas. E deu tudo certo.

“É super legal vê-lo apreciar coisas que as crianças comuns gostam. Eu nunca esperei que minha vida fosse assim, mas estou tão feliz . Estamos juntos nisso”, concluiu.

Fonte: 015 - sonoticiaboa

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias