Terça-Feira, 23 de Julho de 2019 - 08:39 (Política)

L
LIVRE

PORTA-VOZ: BOLSONARO ESTÁ OTIMISTA SOBRE EVITAR GREVE DE CAMINHONEIROS

Ministro da Infraestrutura solicitou e ANTT concordou em suspender nova tabela de fretes após valores desagradarem a categoria


Imprimir página

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem acompanhado a mobilização de caminhoneiros após a publicação de uma nova tabela de fretes, que desagradou parte da categoria. Depois que o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, anunciou que o valor mínimo estabelecido na semana passada seria revogado, Bolsonaro acredita que haja um consenso “até o meio da semana”, segundo informou o porta-voz da presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, nesta segunda-feira (22/07/2019).

“Está bastante confiante de que haja um avanço. De fato, houve, ao longo do dia. E que haja um avanço a fim de chegarmos a um bom porto até quarta-feira”, afirmou Rêgo Barros.

Rêgo Barros disse que o Ministério da Infraestrutura solicitou formalmente à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para que se posicione sobre a suspensão cautelar da resolução que institui o novo piso mínimo. A direção da agência, no fim da tarde, confirmou a suspensão.

“Antecipar problemas”

Depois de um encontro na noite desta terça-feira (23/07/2019), na quarta (24/07/2019) ocorrerá uma nova reunião entre representantes do setor e do governo. “Segundo o presidente, o governo tem acompanhado a situação para se antecipar a problemas e tomar decisões adequadas para o futuro do Brasil”, informou o porta-voz.

O ministro Tarcísio de Freitas também se manifestou por meio de Rêgo Barros: “O diálogo segue sendo o principal mecanismo com o qual vamos buscar um consenso no setor de transportes de carga. Por isso, a importância de dar continuidade às reuniões. Estamos desde o início do ano com as portas abertas no ministério e essa tem sido a melhor forma de proporcionar transparência às decisões que estão sendo tomadas em conjunto”, diz a mensagem repassada.

Fonte: 015 - Metrópoles

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias