Quinta-Feira, 11 de Julho de 2019 - 17:01 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: UM ACENO À MERITOCRACIA

O projeto da senadora Maria do Carmo Alves e em face da urgência pedida pela relatoria, pode ir logo ao Plenário e se aprovado, suas regras pautarão todos os níveis dos poderes.


Imprimir página

“A oposição não teve voz na rua ou na política partidária. Não teve voz na reforma, pois se retirou para trincheiras perdidas nas montanhas do atraso”. Vinicius Freire.

1-Maia o rei da reforma

Foi um dia para o Rodrigo Maia não esquecer. Protagonista da reforma da previdência ele chorou, discursou, riu e dividiu a responsabilidade pela aprovação da reforma com todos, inclusive com os que votaram contra. Uma lavada: 379 favoráveis, 131 contra e o texto base foi aprovado.

A liberação de emendas pelo governo foi definitiva, maso trono ficou para Rodrigo Maia, que se cacifa para jogar no campo do Bolsonaro. Mitou. 

2-Entendendo a reforma

Ainda que faltem pontos a serem discutidos a partir de hoje pelos deputados, pode-se dizer que a maior parte da reforma previdenciária está pronta.

O G1 fez um trabalho primoroso que divido com vocês. Está fácil de compreender. Basta acessar aqui ou ir diretamente ao site G1 e boa leitura.

03-Um aceno à meritocracia

A CAS do Senado aprovou o projeto sobre demissão de servidores por insuficiência de desempenho. O projeto da senadora Maria do Carmo Alves e em face da urgência pedida pela relatoria, pode ir logo ao Plenário e se aprovado, suas regras pautarão todos os níveis dos poderes.

Produtividade e qualidade serão fatores avaliativos fixos, associados a mais cinco fatores variáveis que respeitam as atividades exercidas pelo servidor. Inovação, responsabilidade, capacidade de iniciativa, foco no usuário/cidadão são alguns dos fatores variáveis a serem observados. Taí... gostei da novidade.

Os países que integram o Mercosul – Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai – querem assinar um acordo de cooperação consular que permitirá que em caso de emergência ou dúvida, um brasileiro possa, por exemplo, recorrer ao consulado de outro país do Mercosul. O acordo deve ser assinado na próxima semana durante a 54ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, em Santa Fé-ARG e outros acordos como segurança migratória para facilitar o transito e a segurança nas fronteiras via compartilhamento de dados. Bolsonaro ficará no posto de presidente do grupo a partir da reunião. 

5-Dividindo para somar

O senador Fernando Bezerra, líder do governo no Senado acha que existe uma saída para tocar a reforma da previdência de um lado e apartar do texto a possibilidade de incluir estados e municípios. “É anossa expectativa, existe apoio no Senado”, disse. Na terça-feira, antes de iniciar a votação na Câmara Rodrigo Maia conseguiu um acordo entre alguns governadores e prefeitos que ainda tentavam a inclusão no texto a ser votado e que pretendiam com o presidente do Senado e o partido Novo, destacar para inclusão ainda na Câmara. O Novo retirou o destaque e uma PEC paralela, seria a saída. No Senado esta parte a PEC seria promulgada sem a parte desmembrada e que voltaria à Câmara para readequação. Uma tacada inteligente.

leoladeia@hotmail.com

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias