Quinta-Feira, 07 de Fevereiro de 2019 - 15:58 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: TESTE DA TRANSPARÊNCIA

Será que agora a transparência vai vencer o corporativismo e as falcatruas recorrentes no Senado apareçam para o cidadão comum?


Imprimir página

FRASE DO DIA:

“Não tenho e por favor perdoem-me se isto soar rude,  tempo nem disponibilidade para fofocas, intrigas e conspirações” Prof. Vinicius Miguel de forma educada e paciente.

1-Isolamento

Instalado nas franjas do Brasil, esquecido pelo poder público federal, Rondônia dispõe de uma ligação precária com o restante do país. A BR-364 foi projetada nos anos 60 e asfaltada há 30 anos para receber um trânsito bem mais leve que o atual. Estudos de indicaram que a estrada precisa de investimentos e não só operações de tapa-buraco...

Ontem a estrada cedeu no trecho Nova Vida isolando Rondônia e Acre e a solução talvez seja improvisar uma ponte metálica, que demanda alguns dias para instalação. Há pouco tempo outro evento interrompeu a rodovia no trecho do Riozinho. É a treva

2-Arrochando o pacote

Governadores pediram e o ministro Moro arrochou mais o pacote apertando as regras para soltura de reincidentes. Em seguida levou o pacote com  apoio dos governadores aos deputados na CCJ:

“Os governadores fizeram uma reivindicação que está no CP art. 310. A ideia é tirar pessoas, muitas vezes com armamento pesado, com indicativo de integrarem organizações criminosas de circulação protegendo o cidadão.” O pacote já ganhou a opinião pública com explicações e a credibilidade do Moro. O jogo é duro!

A juíza Gabriela Hardt aplicou outra pena ao “Redivivo” que desta vez ganhou 12 anos e 11 meses – quase o cabalístico 13 – sem a presença do Moro que vendia um pacote longe de Curitiba. A tendência é que o TRF4 confirme a sentença, que a ONU não fale sobre o tema, que seu partido abra baterias contra a justiça, mas há um pepinaço caso o pacote do Moro venha ser aprovado: apesar de não alterar suas duas penas afetará a execução, limitando a progressão. E o “Redivivo” ainda tem 7 processos pela proa.

4-Teste da transparência

Será que agora a transparência vai vencer o corporativismo e as falcatruas recorrentes no Senado apareçam para o cidadão comum? Pergunto e respondo: como devoto fiel de São Tomé, só acredito vendo. Mas, os tempos são outros e a vergonha imposta ao Senado foi extrema.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre pediu que o corregedor Roberto Rocha, apure a fraude na eleição da Mesa Diretora. Além de um voto a mais, duas cédulas estavam fora dos envelopes. A votação foi anulada, e Davi foi eleito em um segundo pleito. Antigamente ficaria tudo em brumas, mas agora sei lá... Fiat Lux!

5-Abraço de afogados

O PROS que tem como senador o ex-presidente Fernando Collor e, portanto, líder de si mesmo, uniu-se ao PT que tem seis senadores para formar o bloco com o pomposo nome de “Bloco Parlamentar da Resistência Democrática”.

Para sorte de quem assiste a programação da TV Senado, sem Lindberg, Gleisi e Fátima Bezerra. E vão resistir a tudo porque têm coloração, ideologia e programas completamente afinados. Eita nós...

leoladeia@hotmail.com

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias