Quinta-Feira, 09 de Janeiro de 2020 - 06:57 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: PREMEDITANDO O GOLPE

Sobre os abusos eventuais os órgãos de controle resolvem. Impessoalidade e transparência nem pensar. A OAB é um cartório feudal.


Imprimir página

“Eu estava pagando o pato pela questão da energia solar. E aí eu decidi que ninguém mais toca no assunto. Quem conversar, eu demito. É cartão vermelho.”Presidente Bolsonaro

1-Quemado sí, pero no mucho...

O silêncio constrangedor de órgãos ambientalistas, do papa, da igreja católica e de autoridades mundiais que surfaram na tragédia das queimadas na floresta amazônica, lança dúvidas sobre o real motivo da gritaria que satanizou o Brasil e sua gente.

Satélites da NOAA-Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA mostram a fumaça do fogo na Austrália quechegou a6 mil quilômetros de altura ecobre parte da América do Sul - Chile, Argentina e Rio Grande do Sul. Na Austrália, Europa, Amazônia a tragédia é a mesma, preocupa a todos independente da bandeira. Até Bolsonaro que cutucou o silêncio no início agora ficou quieto. Está na moita.

2-Bajo costo, pero no mucho...

O confuso presidente do STF, disse que para implantar o juiz de garantia não haveria aumento de gastos do Judiciário e até onde sei, sem qualquer estudo sobre o fato. Falou sem base e foi pego no pulo. Em 2013 o TJSP tentou montar o sistema de juiz de garantia em 318 comarcas e em 10 unidades do Departamento de Inquéritos Policiais de São Paulo.

Por falta de estrutura física e recursos humanos deu zebra. Aliás, foi naquele ano que a PGR questionou a criação do serviço paulista. O tempo passa e agora Dias Toffoli diz que o sistema não gera custos ao país. Só para variar o ministro errou nas contas outra vez ou é ruim de geografia mesmo?

3-E por falar em contas...

O new ambientalista Bolsonaro além da defesa que fez para cobrança do ICMS nas refinarias quer também que os usineiros de cana de açúcar entreguem o etanol diretamente nos postos de gasolina, sem atravessadores. Mas mesmo o “Capitão” que fala grosso, pode pouco quando as agências (des)reguladoras entram na parada.

Além do Congresso é preciso combinar com os russos ou no caso os governadores que teriam que reduzir o ICMS vivendo com migalhas, vivem com o pires na mão. “Isso reduziria em no mínimo 20 centavos o custo do álcool, que vai reduzir também a gasolina, porque tem a mistura do álcool na gasolina” disse Bolsonaro com um olho no Irã e outro nos caminhoneiros. É uma dentro e dezenove ao derredor. Vixi...

4-Premeditando o golpe

Glademir Aroldi da Confederação Nacional dos Municípios juntou-se aoesperto PL da OAB que dispensa licitação para contratar advogados e contadores. Para ele é importante que prefeitos escolham o assessor.

“A assessoria jurídica é muito pessoal. Tem que ser um cara de confiança. Eu, como prefeito, vou querer ter ao meu lado alguém em quem eu tenho plena confiança (…). E, aliás, mesmo no processo sem licitação é preciso comprovar a capacidade técnica. Não posso contratar um cara que não tenha expertise.” Sobre os abusos eventuais os órgãos de controle resolvem. Impessoalidade e transparência nem pensar. A OAB é um cartório feudal.

5-Um pouco mais sobre isso aí...

O Diário Oficial da União traz o veto do presidente Bolsonaro à excrescência premeditada pela OAB contra a administração publica brasileira.

Segundo o texto publicado pelo Planalto, foi o Ministério da Justiça e Segurança Pública que manifestou-se pelo veto, justificando que a proposta, “ao considerar que todos os serviços advocatícios e contábeis são, na essência, técnicos e singulares, viola o princípio constitucional da obrigatoriedade de licitar, tendo em vista que a contratação de tais serviços por inexigibilidade de processo licitatório só é possível em situações extraordinárias.” Claro que o veto ainda será analisado pelo Congresso Nacional.

[email protected]

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias