Quarta-Feira, 19 de Fevereiro de 2020 - 07:22 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: O FANTÁSTICO BOLSONARO

Todo mandatário tem fetiche por imprensa em geral e TV em particular, ainda que jure amor às redes sociais.


Imprimir página

“Não podemos reduzir o Congresso aos arroubos de um moleque. A pessoa não tem conteúdo e faz do exercício do mandato uma plataforma de ofensas para receber curtidas de sua militância.” – Deputado José Medeiros do Podemos sobre o deputado Glauber Braga do Psol.

1-Caminho da Escola

“Espero que esta semana nasça essa criança que tá demorando muito para nascer. Tá parecendo filhote de elefante”. Depois de andar para frente e para trás, demorar tanto que até o ministro Paulo Guedes teve que intervir de forma desastrada, a reforma está madura e deve chegar ao Congresso antes que comece o desfile da Sapucaí.

E terá que ser tocada de forma redondinha entre Executivo e Congresso se quiserem que a coisa flua pois interessa ao Brasil. Já pensou 74 ascensoristas nos elevadores do Congresso? “Uma coisa importante da reforma administrativa é a extinção de algumas profissões. Hoje em dia, não se fala mais em datilógrafo, acabou datilógrafo. E repito: atuais servidores não vão perder nada,” diz Bolsonaro e Maia aquiesce.

2-Presunto miliciano

Os especialistas de tudo estão em guerra. Adriano morreu por culpa da polícia que deveria armar o cerco e rendê-lo. Para uns Adriano deveria disparar rajadas e não tiros intermitentes. Seria queima de arquivo por do PT ou PSol para uns ou para os Bolsonaros querem outros.

Adriano foi herói oumiliciano para uns e outros. Ou um rico excêntrico. Matou a Mariele ou sabe quem mandou. Para uns ele matou Mariele e para outros não matou, mas sabia o nome do mandante. Era coxinha para uns, mortadela para outros e para o Zé de Nana é só presunto e presunto não fala. Não fala, mas há gravações que comprometem o Rui Costa ou o Bolsonaro. Que rolo...

3-Juiz de garantias: a polêmica continua

A AGU resolveu apoiar a causa. O juiz de garantias acompanhaa investigação, o recebimento da denúncia e autorização de prisões, quebra de sigilos, bloqueio de bens e operações de busca e apreensão e o outro juiz profere a sentença.

A criação desta nova figura foi suspensa, por ordem do ministro Fux agora em janeiro, foi comemorado pelo ministro Sérgio Moro, mas o Executivo, representado pela AGU, diz que o juiz de garantias é uma “garantia constitucional” e visa dar “maior isenção e imparcialidade” aos julgamentos das ações, além de promover a “preservação de um maior patamar de neutralidade cognitiva do juiz sentenciante”. E haja bate-cabeças...

4-Meritocracia a caminho

Os “cabeças gordas” que se preparem. O Ministério da Economia vai avaliar o desempenho para cargos especiais e DAS níveis 4, 5 e 6.Na Secretaria de Desburocratização, 95 pessoas passarão por uma fase de seis meses de avaliação que começa em 7 de abril com secretários, diretores, coordenadores-gerais e gerentes de projeto do órgão, inclusive o secretário especial Paulo Uebel.

A ideia é ampliar e mudar a cultura organizacional do governo, avaliando ocupantes dos altos cargos do governo. 80% da avaliação referem-se a metas individuais e 20% a competência. É a meritocracia – antigamente era palavrão no serviço público – que chega para ficar. Viva!!!

5-O Fantástico Bolsonaro

Todo mandatário tem fetiche por imprensa em geral e TV em particular, ainda que jure amor às redes sociais. A senadora Soraya Thronicke sabe disso e como boa bolsonarista tentou emplacar uma janela na TV aberta – “para os 3 poderes” – com 18 minutos, das  19 às 22. Vixi... 6 minutos de “Bolsonaro Livre na Globo”?

A ABERT correu ao Congresso que rejeitou a proposta absurda. Mas o Silvio Santos que ama qualquer presidente, vai dar um toque vintage. Volta a velha “Semana do Presidente” todo domingo no SBT. E será só o Bolsonaro com o pau de bater em doido bem na hora do Fantástico. É a guerra!

[email protected]mail.com

Fonte: Léo Ladeia - NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias