Segunda-Feira, 04 de Fevereiro de 2019 - 13:41 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: MANDA QUEM PODE

A decisão de Toffoli foi abandonada como se viu depois e Renan foi varrido.


Imprimir página

FRASE DO DIA:

“O Renan devia seus últimos quinze anos ao PT.” - Ministro Onix Lorenzoni

1-Manda quem pode

Ao insurgir-se contra a decisão do ministro Dias Toffoli do STF pela votação secreta que dava vida a Renan Calheiros, o senador Major Olimpio lembrou a prática comum de se hostilizarem políticos em aeroportos: “O tribunal dos aeroportos também chega ao Poder Judiciário”, disse.

A decisão de Toffoli foi abandonada como se viu depois e Renan foi varrido. Decisão judicial se cumpre, mormente se exarada pelo presidente do STF e ainda que proferida na madrugada quando o sono oblitera a razão.

2-Renan o abjeto

Seriam 81 votos, mas a urna pariu mais um: 82. Voltando a fita: Barraco sexta à noite, sessão suspensa, decisão “chose de loki” do STF na madrugada, sessão no sábado, votação, fraude, nova votação e Renan grudadi na cadeira arregou.

Na segunda houve a fraude e na terceira jogou a toalha e sumiu do plenário. Com 42 votos Davi Alcolumbre, um judeu, abateu o Golias alagoano, mas pra variar Renan foi ao twitter e achou a culpada: a jornalista Dora Kramer foi atacada de forma vil e sexista. Renan Calheiros é execrável.

3-Onix: cabelo e barba

Rodrigo Maia é o presidente na Câmara dos Deputados, Davi Alcolumbre do Senado e Onix Lorenzoni o grande estrategista que levou o DEM à presidência das duas casas e deixa o partido com poder para influenciar o governo Bolsonaro. Chorando Maia disse: "Teremos muitos desafios. A Casa precisa de modernização. Precisamos comandar as reformas pactuadas junto com governadores e prefeitos de todos partidos."

Mas isto é relevante: não há votos para aprovar as alterações constitucionais que o governo vai propor. Para obter o quorum mínimo - 308 deputados e 49 senadores – Bolsonaro terá de reajustar a coordenação política do governo com um lance de xadrez conservador.

Final da votação e o senador José Maranhão que presidia a sessão, sentado há muito tempo, sentiu a necessidade premente de ir ao mictório e pressionado pela vontade ou aliviado por vislumbrar o fim da sessão, disse ao microfone, “Vou dar uma mijadinha”. Na volta descobriu que fora a “mijadinha” havia também uma “ca*adinha”. Uma fraude - um senador votou duas vezes e em Renan- o que levou a outra eleição. Tristeza!

5-Diálogo republicano

Muito mais que adversários e almejando presidir o Senado, Renan Calheiros e Tasso travaram um diálogo como se estivessem numa boca de fumo qualquer e mostrando ao Brasil qual é mesmo a função de um senador.

(Do Renan): “O responsável por isso é você, coronel cangaceiro” e, talvez profetizando, respondeu Tasso: “Você vai para a cadeia”. Aí Renan foi pro pau: “Você não tem voto seu merda, venha para a porrada”.              

leoladeia@hotmail.com

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias