Sexta-Feira, 04 de Janeiro de 2019 - 18:22 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: LÁ Y KÁ

Chega de ratos, de empresários de araque e de achaques, cupins do erário, vivendo de verbas públicas e da indicação de apadrinhados em cargos públicos para operar o 'rachachá'. Chega!!!


Imprimir página

FRASE DO DIA:

 

"Todos morrerão juntos se a reforma não for aprovada." – Deputado Rodrigo Maia sobre a reforma da previdência.

 

1-Curto e grosso

A revista Crusoé encomendou ao respeitado IPP-Instituto Paraná estudo sobre o tema qual deve ser o procedimento do governo para evitar o conhecidíssimo “toma-lá-dá-cá” e a resposta que não surpreende, está explícita neste gráfico.

Os tempos são outros. O povo está disposto a contribuir com mais sacrifício, apertar ainda mais o cinto, desde que a desgastada e anacrônica classe política proceda de igual forma. Está no forno a reforma da previdência. Não faz sentido existirem dois institutos: um para o serviço público, cheio de privilégios custeado pelos trabalhadores e patrões da iniciativa privada e outro que paga bem menos para quem mais contribui.

2-Lá y ká

Pela peia que estão levando, todos os 52 prefeitos e até o governador Marcos Rocha que apanha antes mesmo de sentar na cadeira, deveriam olhar este gráfico e “puxar o bridão”. O povo quer trabalho e o que o governo pode fazer é ajudar eliminando regras que as vezes só limitam a ação de quem quer empreender para gerar emprego, renda e contribuir com o imposto justo que retorna em forma de serviços.

Chega de ratos, de empresários de araque e de achaques, cupins do erário, vivendo de verbas públicas e da indicação de apadrinhados em cargos públicos para operar o “rachachá”. Chega!!!

3-Um Canuto num importante Ministério

Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto, engenheiro de computação, está no Ministério do Desenvolvimento Regional que em novo formato engloba o Ministério das Cidades e o Ministério da Integração.

Servidor efetivo do Ministério do Planejamento, Gustavo Henrique era secretário-executivo do extinto Ministério da Integração que passa a ter status de secretaria. O ministro Gustavo é sobrinho do ex-governador Assis Canuto.

4-“Habemus secretarius”

Pronto. Numa cerimônia no Palácio das Artes hoje pela manha, o governador Marcos Rocha formalizou a posse dos secretários de seu governo.

Reafirmou seu propósito de combater a corrupção, otimizar gastos públicos, relações republicanas, transparência, nada diferente do discurso de campanha. Agora é arregaçar as mangas e trabalhar.

Haja cara de pau. No apagar das luzes do governo Michel Temer saiu uma “licitação Mandrake”. O Ministério da Saúde conseguiu uma licitação de 49,5 milhões de reais para contratar empresas para tocar as redes sociais da pasta. A bolada foi dividida, entre FSB, CDN e Digital Group. 

Mas deu ruim para a “tchurma do querumeu”, pois o TCU atendendo pedido do Ministério Público de Contas travou a porta da picaretagem e suspendeu a licitação por entender que deveria ser feita pelo governo Bolsonaro, vez que todo o contrato ocorrerá na gestão atual. A voracidade é acima da média.

leoladeia@hotmail.com

 

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias