Segunda-Feira, 22 de Abril de 2019 - 17:09 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: FALTA UMA TROUXA DE ROUPA PRA LAVAR

36 dias/ano. Com as férias serão 66 dias. Licença maternidade, feriado, atestado médico, ponto facultativo e haja vaga para acabar com o desemprego no Brasil. Custo? Quem se importa?


Imprimir página

"Moraes e Toffoli colocaram Crusoé na história das liberdades no Brasil." – Joaquim Falcão, advogado, escritor. Membro da Academia Brasileira de Letras

1-Terror e estupidez

E do distante Sri Lanka, ou Ceilão, onde etnias e religiões têm convívio milenar vem a notícia que o terror agiu e a face da estupidez foi dirigida a cristãos durante a páscoa.

São quase 300 mortos e 500 feridos, obras de artes destruídas em ataques suicidas a três igrejas católicas e hotéis. O medo e divisão voltam a se instalar no mundo com a sensação de que não há lugar seguro. O Sri Lanka é um paraíso turístico numa ilha.   

2-Dois novos fantasmas em Brasília

O STF que tem como função precípua guardar a constituição, tem enfrentado batalhas intra e extra-muros com a sociedade e tudo leva a crer que a paz está longe. Na última refrega para calar opiniões e subverter fatos, o STF somou outra nódoa à imagem e agravou a divisão na corte.

Mudanças só depois de agosto de 2020 quando sai Celso de Melo, mas Gabeira, o bruxo, diz: “Toffoli e Moraes deveriam renunciar não só ao inquérito como aos próprios cargos”. Uma solução para quem virou fantasma em vida.

3-Patrolando os conselhos

Fechando 100 dias de governo Bolsonaro tascou dois decretos um deles o “revogaço”, que anula 250 decretos tidos como “desnecessários” e o outro fulmina os conselhos no âmbito da administração pública federal direta e indireta. 700 conselhos passarão pelo fio da espada em dois meses e devem sobreviver talvez 50.

Para Lorenzoni foram criados a partir da visão distorcida do que é representação e participação popular que “tinha a gênese ideológica de fragilizar a própria sociedade”. Isso vai dar um moído...

4-Falta uma trouxa de roupa pra lavar

O deputado federal e ex-governador do Mato Grosso, Carlos Bezerra do MDB forçou: três dias de folga durante o período da menstruação.

36 dias/ano. Com as férias serão 66 dias. Licença maternidade, feriado, atestado médico, ponto facultativo e haja vaga para acabar com o desemprego no Brasil. Custo? Quem se importa? E já que falei de nada, o governo quer proibir o uso de jeans no Alvorada. Lá em Brasília o mato tá alto pra carpir, baixo pra roçar e molhado pra tocar fogo, ou tá faltando roupa pra lavar.

“Ou restaure-se a moralidade locupletemo-nos todos”, disse o esperto Stanislaw Ponte Preta. O ministro Osmar Terra deve divulgar um vídeo hoje sobre a Leui Rouanet com a nova marca que passará a ser Lei de Incentivo a Cultura e a parte mais importante: a alteração do teto dos atuais R$60 milhões para apenas R$1 milhão, salvo exceções que serão também explicadas. Parodiando a piada infame do japonês, quem mamou  mamou, quem não mamou não mama mais. Fim da farra pra “tchurma da fumaça”

leoladeia@hotmail.com

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias