Terça-Feira, 08 de Janeiro de 2019 - 16:53 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: ENQUANTO ISSO NO CEARÁ...

O crime organizado resolveu encarar as polícias, órgãos de repressão e até a Força Nacional que opera no local com mais de 300 homens.


Imprimir página

FRASE DO DIA:

“O partido ainda carece de identidade. Agora é que estamos começando a sedimentar essa cultura partidária” – Senador Major Olimpio do PSL, o partido do Bolsonaro

1-Mim amigo. Mesma tribo

O “Posto Ipiranga” acertou as arestas com o chefe Bolsonaro. Ontem, antes da posse dos chefões da CEF, BB e BNDES, Paulo Guedes e Bolsonaro fumaram o cachimbo da paz. Claro que Bolsonaro e filhos continuarão dando caneladas pelas redes sociais, mas fica instituído a partir de já o “desmentido oficial”.

A regra é: quem postar primeiro ganha. E da entrevista do SBT restou a lição: refletir antes de falar e baixar o tom para não ter que baixar a cabeça. Como sabem até as crianças, o silêncio é de ouro.  

2-Queimando a largada...

Está acontecendo nesta terça feira a segunda reunião ministerial do novo governo. Até aqui muita gente que mal se conhece, chaira, faca, esmeril e conversa sendo afiada para a próxima reunião. Bolsonaro quer metas para os próximos 100 dias.

Em alguns ministérios é possível ter resultados nesse tempo mas noutros, 100 dias é muito pouco para desmontar e reorganizar a máquina aparelhada por anos a fio. Com 27 anos de Câmara Bolsonaro deve ter como prática o cacoete das reuniões. E assim vai dando a largada. Giro alto, ruído, pressão, o carro patina. Nada que preocupe. É pouca prática.  

Tarcísio Freitas, ministro de Infraestrutura, disse que o governo pretende privatizar ou liquidar cerca de 100 estatais: “...não só privatizações, mas liquidações de empresas que hoje não fazem tanto sentido. O governo está levantando uma série de situações dessas que de certa forma vão desonerar o Orçamento e sobrar dinheiro para investir noutras prioridades.” 

E mais: “Temos que pegar os trechos que têm possibilidade de exploração comercial e passar para a iniciativa privada via concessão e via parceria público-privada. Isso vai fazer com que a gente só na área da concessão disponibilize para a iniciativa privada quase 9.000 quilômetros de rodovias.” Gostei da idéia

Antonio Hamilton Rossell Mourão trabalha no Banco do Brasil e ganha R$12 mil. Dileto filho do vice-presidente Hamilton Mourão. Até aqui morreu o Neves. O novo presidente do Banco Rubem Novaes resolveu investir no pimpolho ao farejar nele algum talento que só os “business man” enxergam. Antonio foi promovido assim, zás-trás e o holerite engordou: de R$12 mil foi para R$36 mil e, como soe ocorre, o pai nada tem a ver com o fato ou seja: tudo igual. Ainda que, convenhamos..., de forma totalmente diferente.     

5-Enquanto isso no Ceará...

Desde o dia 02 de janeiro, na quarta-feira, foram registrados 159 ataques em diversos pontos do estado. Até agora 168 pessoas foram detidas. O crime organizado resolveu encarar as polícias, órgãos de repressão e até a Força Nacional que opera no local com mais de 300 homens.

É a oportunidade para o estado endurecer, virar o jogo ou jogar a toalha, apagar a luz fechar a porta e entregar o povo ao seu próprio destino. É guerra entre quadrilhas e o estado batendo cabeça e perdendo o jogo. Tá feia a coisa.

leoladeia@hotmail.com

 

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias