Domingo, 21 de Julho de 2019 - 07:00 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: A COMPLEXA SINGELEZA DO ERRO

Só no Rio três réus da Lava Jato buscam refresco face à decisão do ministro.


Imprimir página

“O tempo de Rondônia é agora. Minha função de parlamentar é ser um facilitador das ações em nosso estado. Minhas demandas são produtores rurais e empresários que querem gerar emprego”. – Deputado Federal Coronel Chrisóstomo.

1-A vanguarda do atraso

Unidade, luta, batalha e vitória na busca de um Plano Comum de Luta, seja lá que isto queira dizer. Soa juvenil, mas é a pauta do 25º encontro do Foro de São Paulo, seja lá também o que isso signifique. Vai ocorrer na próxima semana em Caracas, com a presença da fina flor da “izquierda”: Rousseff, Hoffmann, Valente, Melnikov, Zyuganov, Cabello e mais gente de Cuba, Nicarágua e Venezuela.

Para lembrar: um pouco antes houve a visita de petistas à Rússia e depois a Vaza Jato. A “izquierda” segue a cartilha quando falta osso e projeto. De dia muito barulho. De noite vinhos caros e a cepipes.

2-A complexa singeleza do erro

Atendendo a pedido do senador Flavio Bolsonaro o ministro Dias Toffoli suspendeu as investigações que tenham utilizado dados sigilosos compartilhados pelo Coaf e aí ficou estreito para quem investiga. Só no Rio três réus da Lava Jato buscam refresco face à decisão do ministro.

Porteira aberta e a boiada se espalha. Buscam os advogados que os benefícios da decisão do ministro se apliquem já aos clientes até que o STF se manifeste sobre o a repercussão geral. “Para todo problema complexo há sempre uma solução clara, simples e errada”. Eis a mais perfeita tradução do ministro Dias Toffoli. 

3-Um pouco mais disso aí

O Coaf age contra a corrupção e noutros crimes que envolvem altas somas de ativos, como a inteligência voltada para identificar operações financeiras atípica sou suspeitas e produzir relatórios para os investigadores. Desde 2014 até hoje foram mais de 15 mil relatórios sendo 9,4 mil sobre corrupção, 4,3 mil no tráfico de drogas, 397 no tráfico de armas, 1,5 mil sobre facções, 42 no tráfico de pessoas, 2,2 mil em sonegação, 36 no terrorismo, 296 no garimpo, 767 no sistema financeiro e 4,5 mil de fraude. Aí alguém resolve pensar e como pensar dói tentou se livrar proibindo a dor de cabeça. E ai...

4-Artur Virgílio de volta ao ninho

Supunham os tucanos que Artur Virgílio estava morto e enterrado depois da torpepá de cal jogada por Alckmin e seguidores, mas ele está vivo e como diz o “bruxo” Carlos Sperança, “não está morto quem peleja”.

Do meio da ressurge um dos mais brilhantes quadros do PSDB para uma conversa com João Dória o tucano coroado, que dominou o partido e busca a formação das bases para catapulta-lo a 2022 e encarar Bolsonaro com o “Novo Centrão”. Matreiro e competente, Artur Virgílio é “ás de ouro” no projeto.

O prefeito Hildon Chaves está com novo ânimo. Parou de chover, problemas em vias de solução, grana do asfalto garantida para mais de 120 km, relações com a Câmara e com o governador Marcos Rocha em alta, salvo a questão do transporte nos distritos, educação aponta para outro salto no IDEB, a nova escola do Orgulho do Madeira e a velha Escola Padrão entregues e as constantes queixas controladas na área da saúde. Hildon Chaves vai bem de saúde, focado e motivado para a reeleição.

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias