Domingo, 21 de Abril de 2019 - 10:31 (Cultura)

L
LIVRE

PLANO DE USO PÚBLICO DO PARQUE ESTADUAL CORUMBIARA

Adquiriu essa categoria por conta das belezas cênicas e do potencial turístico que a região apresenta.


Imprimir página

Sob a coordenação da Superintendência Estadual de Turismo – SETUR, aconteceu no último dia 11 passado, no gabinete da Secretaria Estadual do Desenvolvimento Ambiental – SEDAM, reunião cuja pauta principal, discutiu a construção da agenda conjunta para elaboração do Plano de Uso Público do Parque Estadual Corumbiara – PEC, através do estabelecimento de mecanismos de articulação para efetivação das interfaces de suas competências, visando a implementação de ações conjuntas para promover a inserção dos princípios de sustentabilidade ambiental no desenvolvimento das atividades turísticas.

A reunião contou com a participação do Superintendente Estadual de Turismo Senhor José Gilvan Pereira da Silva Junior, do Secretário Estadual do Desenvolvimento Ambiental Senhor Elias Rezende, do Coordenador de Ações Turísticas – ATUR/SETUR Senhor Saulo Giordane, da Chefe de Ações Turísticas/SETUR Senhora Camila Canova, da Engenheira Florestal e de Segurança do Trabalho Sebastiana S. Silva Almeida – ATUR/SETUR, do Senhor Denison Trindade Coordenador de Unidades de Conservação – CUC/SEDAM.

O PARQUE

O Parque Estadual de Corumbiara foi criado pelo Decreto Estadual nº 4.576 de 23 de março de 1990 e modificado pela Lei Estadual nº 690 de 27 de dezembro de 1996, com área de 424.339,11 (quatrocentos e vinte e quatro mil, trezentos e trinta e nove hectares e onze centiares) e está localizado no extremo sul do Estado de Rondônia, abrangendo partes dos municípios de Cerejeiras, Pimenteiras do Oeste e Alto Alegre dos Parecis e sendo, ainda, margeado pelos municípios deCorumbiara e Alta Floresta do Oeste.

Adquiriu essa categoria por conta das belezas cênicas e do potencial turístico que a região apresenta.

O Plano de Manejo do Parque Estadual Corumbiara foi elaborado em 1995, e passados mais de 12 anos de sua elaboração, o documento original do Plano de Manejo do PEC foi revisado, em 2009 com o objetivo de adequar seu conteúdo à nova realidade circundante e de orientar a sua implementação.

Um aspecto estratégico que deve ser abordado em relação a esta UC refere-se à suaposição fronteiriça com a Bolívia, em especial com o Parque Nacional Noel Kempff Mercado a sudeste. O acesso até a UC pode ser terrestre ou fluvial, o acesso fluvial dar-se-á pelos rios Guaporé e Mequéns. O acesso terrestre dar-se-á pelas principais cidades da região, que são Vilhena, Ji Paraná, Alta Floresta do Oeste, Corumbiara, Cerejeiras e Pimenteiras do Oeste.

A rodovia BR-364 e a RO-399 fazem a ligação entre Vilhena e os municípios de Cerejeiras, Corumbiara e Pimenteiras do Oeste. As rodovias estaduais que fazem ligação entre os municípios de Alta Floresta do Oeste e Alto Alegre dos Parecis são a RO-010, RO-491, RO-490.

As ações gerenciais propostas são iniciativas de caráter geral, essenciais para que a visitação ao PEC possa se desenvolver. Referem-se: às estratégias de sustentabilidade e ao mecanismo de arrecadação financeira que devem ser concebidos, inicialmente, a fim de gerar recursos para todas as ações necessárias para promover o uso público; à identidade visual do PEC, fundamental para qualquer ação de divulgação; e à utilização da internet para promoção do PEC e região, o que exige baixos investimentos.

Adicionalmente, as ações gerenciais propostas estão relacionadas com a gestão do PEC e com o contínuo desenvolvimento no decorrer dos anos, e com a instalação deinfra-estrutura básica (como bases de apoio, sinalização e compra de equipamentos).

Fonte: Ze Katraca/NewsRondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias