Sabado, 09 de Fevereiro de 2019 - 16:06 (Colaboradores)

L
LIVRE

PISCICULTURA EM TANQUES-REDE EM RONDÔNIA - POR ANTÔNIO DE ALMEIDA SOBRINHO

A atividade é muito lucrativa. Confira!!!


Imprimir página

Se a sua propriedade dispõe de uma coleção de água razoável, com profundidade e volume suficientes, durante todo o ano, você pode aproveitar este potencial para produzir peixes de forma massiva, com aproveitamento racional sustentável e aumentar a sua renda líquida familiar, com o aumento da produção de pescado do estado de Rondônia e região.

Com o aproveitamento da água disponível em sua propriedade rural, você irá gerar emprego e renda, segurança alimentar, inclusão social e contribuir com o abastecimento de proteína animal, com alto teor proteico, e comercializar para o poder público a fim de atender a demanda insatisfeita de pescado beneficiado para a merenda escolar das redes municipais e estadual de educação.

O caminho que deve ser percorrido para se alcançar o desenvolvimento sustentável da atividade de criação de peixes em tanques-rede passa necessariamente por várias trilhas, dentre as mais recomendadas são:

i) sustentabilidade social;
ii) sustentabilidade econômica;
iii) sustentabilidade ambiental.

Este tanque-rede com as dimensões de 5 m x 5 m x 2 m = 50 m³ estocado com 3.000 alevinos da espécie tambaqui (Colossoma macropomum, Cuvier, 1818) produziu 6.000 kg de pescado, no período de 10 meses, com uma conversão alimentar de 1,70 kg/ração: 1,0 kg/pescado e uma produtividade de 120 kg/pescado/m³ de água.

O empreendimento aquícola atendeu fielmente as prioridades do governo federal e as expectativas dos pescadores artesanais do município de Candeias do Jamari, como podemos citar:

·Produção de alimento: com a produção de pescado para atender as necessidades alimentares e sociais dos pescadores e de seus familiares;

·Geração de emprego: ocupação para o pescador sem alternativas para atender as necessidades básicas de seus familiares;

·Segurança alimentar: o usuário do setor pesqueiro passou a ter a sua disposição a confortável certeza de que o sustento para a sua família está sendo fiscalizado, protegido e preservado no lugar seguro (tanques-rede) por vinte cinco pescadores parceiros;

·Inclusão social: este contingente de excluídos de irmãos brasileiros, especialmente os formados por pescadores sem peixes passou a dispor de uma profissão e atividade especial para se dedicar, neste caso a atividade do século, a piscicultura em tanques-rede.

Para que o prezado leitor tenha uma real noção sobre a potencialidade do sistema de criação de peixes em tanques-rede veja este nosso exemplo:

Exemplares da espécie tambaqui cultivados em tanques-rede, no baixo rio Candeias, em Candeias do Jamari, com a média de 2,0 kg, no período de 10 meses.

PRÊMIOS CONQUISTADOS COM ESTE PROJETO

PRÊMIO MÁRIO COVAS, PREFEITO EMPREENDEDOR, promovido pelo SEBRAE, Edição 2003/2004 – Recebido pela SEDAM, ELETRONORTE e Prefeitura Municipal de Candeias do Jamari.

Após ganhar o Prêmio Mário Covas, promovido pelo SEBRAE, Edição 2003/2004 – Prefeito Empreendedor —, o projeto bateu um recorde regional em produtividade na criação de tambaqui (Colossoma macropomum, Cuvier,1818) em tanques-rede — 135,54 kg de pescado por metro cúbico de água, em torno de 135 mil vezes a produtividade natural do rio Candeias, do ambiente natural onde foi  instalado o projeto.

PRÊMIO GESTÃO E CIDADANIA 2005, promovido pela Fundação Getúlio Vargas, em parceria com a Fundação FORD e o BNDES, recebido pela SEDAM e ELETRONORTE;

PRÊMIO CHICO MENDES DE MEIO AMBIENTE, ano 2005, Categoria Negócios Sustentáveis, promovido pelo Ministério do Meio Ambiente – MMA – Governo Federal, com a réplica do projeto UPCTR, em operacionalização no rio Pacaás Novos, afluente do rio Mamoré, no município de Guajará-Mirim;

CONDECORAÇÃO DO VATICANO: BENÇÃO APOSTÓLICA DO PAPA JOÃO PAULO II, concedida a Antônio de Almeida Sobrinho, pelos relevantes serviços prestados aos pescadores da região amazônica, em 2003.

Condecoração outorgada pelo Vaticano, das mãos de João Paulo II, como reconhecimentos aos trabalhos desenvolvidos na Região Amazônica, com ênfase para os estados de Rondônia e Amazonas.

Considerado pelos próprios pescadores como ‘pescado orgânico’, quando o peixe criado no rio Candeias tem a sua disposição alternativas alimentares, e alimento com uma ração muito especial — ração extrusada, tecnicamente comprovada, o pescado produzido nos tanques-rede vem sendo elogiado por todos, sem exceção, e até por ser criado no próprio rio, não mantendo contato com o fundo do rio —, conserva a qualidade e refletindo no gosto e sabor do pescado natural,  sendo comparado com o tambaqui criado naturalmente nas água dos rios Guaporé e Mamoré.

Para maiores informações, estamos disponibilizando os nossos contatos para falarmos pessoalmente sobre esta e outras modalidades de sistemas e projetos para criação de peixes e outros animais aquáticos, tais como:

·        Piscicultura semi-intensiva;

·        Piscicultura superintensiva;

·        Piscicultura em viveiros escavados;

·        Piscicultura em viveiros de barragens;

·        Piscicultura em tanques-rede;

·        Carcinicultura na Amazônia;

·        Projeto de criação de camarão;

·        Projeto de ranicultura;

·        Hotel Fazenda etc.

 

MENSAGEM DA FARTURA

Se podemos produzir até 200 kg de pescado por metro cúbico de água não se justifica o pescador artesanal da Amazônia passar fome e receber cesta básica do Governo Federal.

Antônio de Almeida Sobrinho escreve semanalmente nos seguintes Portais de Notícias:

www.newsrondônia.com.br

www.gentedeopiniao.com.br

www.rondonoticias.com.br

www.emrondonia.com.br

www.efato.com.br

Blogspot: ESPINHA NA GARGANTA

E-mail: almeidaengenheiro@yahoo.com.br

WhatsApp: 69 9 9220-9736

 

 

 

 

Fonte: Antônio de Almeida Sobrinho - News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias