Terça-Feira, 15 de Janeiro de 2019 - 14:51 (Colaboradores)

L
LIVRE

PCC: BARBARÁ PODE SER ENVIADO A PENITENCIÁRIA FEDERAL EM PORTO VELHO DENTRO DE 30 DIAS

Barbará e outros seis presos que também podem ter o pedido de transferência pela justiça paulista aceito compunham o segundo escalão da facção PCC.


Imprimir página

Mesmo sem a confirmação do Ministério da Justiça, já é dada como certa a transferência de Cláudio Barbará da Silva para Penitenciária Federal de Porto Velho. Barbará é considerado pela organização criminosa, Primeiro Comando da Capital (PCC), o atual chefão da cúpula com ramificação em todo o país.

Cláudio Barbará da Silva, conhecido na organização criminosa – Primeiro Comando da Capital, como “Barbará” deverá ser translado do Presídio de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo, nos próximos 30 dias para a Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Porto Velho.

Barbará e outros seis presos que também podem ter o pedido de transferência pela justiça paulista aceito compunham o segundo escalão da facção PCC. Mas os homens assumiram o posto central, quando Marcos Herbas Camacho o “Marcola”, além de outros membros facção foram mandados pela justiça para o regime disciplinar diferenciado (RDD) e ficaram incomunicáveis.


O criminoso Marcola, em foto de 2005. AGÊNCIA ESTADO

Perigosos, os integrantes desta célula ordenaram atentados e assassinatos por todo o país, além de ataques contra forças de segurança. Após a operação Echilon, que investigou a ramificação da facção pelo Brasil, Barbará, Bin Laden, José de Arimatéia também foram enviados ao [RDD], em Presidente Bernardes, cidade vizinha a Presidente Venceslau, onde toda a cúpula do PCC está presa e de onde comanda o cartel de droga.

Apesar negar, a Polícia Civil de São Paulo e o Ministério Público Estadual, não têm dúvidas de que Barbará cumpre sim um cargo de relevância dentro da organização. Na semana passada em entrevista ao Site UOL notícias, a defesa do bandido disse que o juiz já havia determinado a transferência do bandido, e que aguardava somente a logística que envolve todo o translado. Em nota o Ministério da Justiça (MJ), informou que não havia recebido qualquer decisão dos juízes Federais corregedores das unidades pedindo a transferência do preso e de mais seis integrantes.

 

Fonte: NewsRondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias