Terça-Feira, 08 de Outubro de 2019 - 09:58 (Geral)

L
LIVRE

PATINETES E HOVERBOARDS: A NOVA FORMA DE EXPLORAR AS CIDADES EUROPEIAS

Conheça as formas de transporte que viraram febre entre moradores e turistas


Imprimir página

Caminhar pelas ruas de Paris ou pedalar em Amsterdam podem se tornar programas turísticos obsoletos. Isto porque cada vez mais pessoas têm procurado formas alternativas de transporte, como os patinetes elétricos e hoverboards.

Bastante populares entre crianças e adolescentes, os hoverboards ainda não ganharam status de meio de transporte em centros urbanos como São Paulo, mas têm sido procurados em sites de compras. Na internet, não faltam portais falando sobre como comprá-los e usá-los adequadamente, como indica o site 365 Dicas.

Já os patinetes elétricos, ou e-scooters, fazem parte da rotina de estudantes e trabalhadores ou mesmo pedestres que buscam mais agilidade em sua rotina na cidade.

Por exigir menos esforço que o uso de bicicletas, os patinetes têm se popularizado rapidamente como alternativa de transporte dentro do que se convencionou chamar de micromobilidade urbana.

O uso destes meios de transporte tem ainda mais um atrativo: a diversão.

E, de olho nessa importante característica, empresas de turismo europeias começam a oferecer essas opções de locomoção como parte de pacotes turísticos.

Agilidade na hora do passeio

Empresas turísticas como a Scrooser Tour, em Praga, já oferecem pacotes que incluem visitas a pontos turísticos da cidade feitas com patinetes e bicicletas elétricas. Os passeios podem durar de 45 a 120 minutos com valores que variam entre 160 e 320 reais.

Em sites de turismo, é possível encontrar resenhas e vendas de pacotes que envolvem conhecer cidades como Florença, Lisboa, Roma e Budapeste utilizando meios de transporte elétricos.

Em Paris, são os hoverboards que ganham destaque.

Montados em pranchas de duas rodas laterais e equipados com coletes reflexivos e equipamentos de proteção, guias e turistas atravessam os principais pontos da capital francesa de forma ágil e divertida, procurada principalmente por pessoas que gostam de um toque a mais de emoção em seus passeios.

Para as pessoas que preferem um pouco mais de estabilidade, é possível alugar a versão de três rodas e com assento, chamada hoverkart. Esta modalidade dá ao condutor maior estabilidade, por permitir que mãos e pés atuem no controle do dispositivo.

Os perigos da novidade

Patinetes elétricos são assuntos recentes no cotidiano de muitas pessoas.

A novidade foi recebida com surpresa em diversas cidades ao redor do mundo. E em muitas delas, a ausência de regras ou espaços adequados para o uso de patinetes elétricos têm criado certa polêmica com relação a eles.

Suécia, França e Inglaterra já registram acidentes fatais envolvendo o uso destes dispositivos, como o que vitimou a YouTuber e apresentadora de TV britânica Emily Hartridge aos 35 anos.

Em julho deste ano, o patinete que Emily usava colidiu com um caminhão em uma rotatória, causando a morte da YouTuber.

Mesmo com a ilegalidade e a pouca segurança oferecida, o número de usuários desse tipo de transporte em Londres é crescente. Isto levou o governo a rever as leis e a incentivar empresas de locação e venda de patinetes elétricos a alertar usuários acerca da legislação atual.

Para Michael Ellis, ministro do transporte da Inglaterra, “as pessoas precisam estar cientes de que, atualmente, é proibido usar patinetes elétricos em ruas, ciclovias e calçadas”.

Fonte: Vinícius Mendes

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias