Sexta-Feira, 24 de Maio de 2019 - 21:38 (Agricultura)

L
LIVRE

PARA EMATER DESLANCHAR NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, AGRICULTORES APONTAM SAÍDA AO GOVERNADOR DO ESTADO

Para isso, será preciso purificar alguns setores que ainda insistiriam agir política e partidariamente em antigas bases de atuação.


Imprimir página

Porto Velho, RONDÔNIA – As pretensas mudanças anunciadas pelo governador Marcos Rocha na estratégia de governo para fortalecer ainda mais a agricultura familiar no Estado foram bem recebidas pelos agricultores que não foram à Rondônia Rural Show 2019, em Ji-Paraná.

Uma fonte deste site de veiculação de noticias naquela parte do Estado informou, nessa sexta-feira (24), que 'o Chefe do Executivo rondoniense teria feito coro ao discurso do presidente da Assembléia Legislativa, deputado Laerte Gomes, ex-prefeito de Alvorada do Oeste, que defende maiores investimentos sem cessar nesse segmento da cadeia produtiva de alimentos, há muito tempo, não privilegiado plenamente'.

A fala do governador gerou uma grande expectativa no meio dos pequenos produtores da Capital que custearam à própria participação num evento destinado, a princípio, somente para ruralistas com potencial na cultura da soja, milho, arroz, algodão e no disputado agronegócio bovino e madeireiro.

Um assunto temático teria dominado a roda de ilações governamentais entre pequenos e médios proprietários rurais diante do público. Trata-se das mudanças previstas para a próxima semana em parte do operacional nos quadros de, ao menos, dois escritórios da EMATER.

Segundo interlocutores próximos ao governador Marcos Rocha e assessores da secretaria de Estado da Agricultura (SEAGRI) e do presidente da Assembléia Legislativa, Laerte Gomes, 'ainda não deu para atingir a modernização plena da EMATER e de outras pastas estaduais'.

Documento, nesse sentido, de acordo com setores da agricultura familiar da Capital, da mesorregião do Baixo e do Alto Madeira vinculados a Sindicatos Rurais e Associações de Pequenos Agricultores, a título de colaboração ao Governo, 'sugerem mudanças nos ESLOCs (Escritórios Locais) da EMATER Imigrantes, BR-364, região ribeirinha e dos Distritos mais afastados das cidades.

Sacramentadas essas mudanças, as categorias que compõem a base da agricultura familiar, na Capital e interior do Estado, teriam acompanhamento pleno com análises da qualidade da terra, renovação automática das DAPS(Documentação de Aptidão), Cadastro Ambiental Rural (CAR), Georreferenciamento (GEO da terra), projetos agrícolas (individuais e coletivos) gratuitos, bem como acesso imediato a insumos, equipamentos e linhas de crédito bancário diferenciadas.

E na linha defendida pelos agricultores rumo às mudanças naquele órgão de assessoramento técnico do setor primário da agricultura, atualmente, os apelos mais intensivos são pela celeridade na prestação dos serviços pelos Escritórios Locais da EMATER aos micros e pequenos proprietários rurais, 'verdadeiros mártires da velha política apregoada pelas gestões anteriores', desabafam, dessa feita, colonos das comunidades de parte dos Projetos de Reassentamentos oriundos das áreas tomadas pelo complexo da Usina de Jirau.

Os agricultores, por outro lado, disseram entender que 'para que haja uma maior e melhor resposta aos serviços efetuados pela EMATER é preciso que o governador contrate mais pessoal técnico (agrônomos, veterinários, extensionistas e assistentes sociais). Além da aquisição de veículos e destine recursos financeiros para garantir uma gestão presencial e moderna no campo.

 

Fonte: Xico Nery - News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias