Terça-Feira, 03 de Março de 2020 - 16:08 (Agronegocios)

L
LIVRE

OURO PRETO DO OESTE GANHA AGROINDÚSTRIA PARA ABATE DE FRANGOS

Além de ser um forte incremento econômico para o município, a instalação da agroindústria contribuirá na geração de renda para várias famílias que criam a ave de forma informal.


Imprimir página

A realização de um sonho transformou-se em negócio rentável para 43 mulheres da região central do Estado. Foi inaugurada no último sábado (28), em Ouro Preto do Oeste, a agroindústria de abate de frango – Abatedouro Vale-Ouro. Além de ser um forte incremento econômico para o município, a instalação da agroindústria contribuirá na geração de renda para várias famílias que criam a ave de forma informal.

Até o ano de 2021 está previsto o abate de 500 aves semanais.

O sonho começou com 23 mulheres que desde o ano de 2010 trabalharam muito para dar início às atividades que iriam mudar suas vidas. Primeiro elas utilizaram suas habilidades manuais e culinárias e venderam trufas de chocolate e ovos de páscoa que aprenderam a fazer através de cursos oferecidos pela Emater-RO. Com o dinheiro arrecadado compraram pintinhos e ração dando início à criação de frangos.

Para consolidar a atividade, as mulheres envolvidas criaram uma associação: a Associação de Mulheres da Agricultura Familiar (Amaf). Elas também conseguiram um terreno, construíram um barracão e assim que tiveram oportunidade adquiriram mais animais iniciando o processo produtivo.

O dinheiro arrecadado na venda de chocolates foi investido na compra de pintinhos e ração.

Com a criação em andamento, essas mulheres sentiram a necessidade de um trabalho com mão de obra especializada. Com apoio da Emater-RO, elas participaram de cursos de boas práticas de fabricação, visitaram agroindústrias e, em 2018, com apoio da prefeitura local, por meio da secretaria municipal de agricultura, ganharam o primeiro Selo de Inspeção Municipal (SIM), que concedeu ao Abatedouro Vale-ouro o certificado de garantia da qualidade de seus produtos.

A consolidação veio através de um projeto de captação de recursos a fundo perdido, oferecido pela Fundação Banco do Brasil e executado pela Emater-RO. O recurso financeiro, no valor de R$ 245.673,95 foi destinado à ampliação das instalações e aquisição de equipamentos, inclusive de um veículo para transporte e comercialização da produção. A contra-partida da Associação, no valor de R$ 29.250.30, foi destinada para participação em cursos de capacitação técnica e infraestrutura da agroindústria (equipamentos de informática, plotagem, embalagem, aquisição de pintinhos, etc.).

Hoje, a Amaf conta com 43 sócios e já possui metas pré-estabelecidas. Até o ano de 2021 está previsto o abate de 500 aves semanais com diminuição dos custos de produção e aumento do controle zootécnico, garantindo assim, um produto de qualidade.

Fonte: 015 - Secom - Governo de Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias