Terça-Feira, 28 de Maio de 2019 - 18:01 (Agronegocios)

L
LIVRE

NOVAS FRONTEIRAS DO DESENVOLVIMENTO RONDONIENSE FORAM DESTAQUES NA 8ª RONDÔNIA RURAL SHOW

O trabalho realizado foi um esforço das coordenadorias de comércio exterior; ciência, tecnologia e inovação; micro e pequenas empresas e indústria, comércio e agronegócio.


Imprimir página

Mais de três mil pessoas passaram pelo Espaço Empresarial Internacional, onde puderam presenciar palestras que mostraram o potencial internacional de Rondônia, fazer negócios com pequenas e grandes empresas e entender quais são as novas fronteiras tecnológicas e de inovação.

Organizado pela Secretaria de Desenvolvimento e Infraestrutura (Sedi), o superintendente Sérgio Gonçalves aponta que todo o trabalho é um conjunto das várias coordenações internas que cuidam, cada uma, das responsabilidades da superintendência. O trabalho realizado foi um esforço das coordenadorias de comércio exterior; ciência, tecnologia e inovação; micro e pequenas empresas e indústria, comércio e agronegócio.

COMÉRCIO EXTERIOR

O público do evento pôde participar de palestras com representantes de dez países que vieram mostrar as oportunidades de negócios internacionais para o agronegócio local. As comitivas trouxeram palestrantes dos Estados Unidos, Peru, Israel, Bolívia, China, Egito, Namíbia, Chile, Itália e AfroChamber.

O objetivo principal foi mostrar que há potencialidades a serem exploradas pelo produtor rural de Rondônia em todo o mundo.

Lidiane Vieira é servidora e assistiu quase todas as palestras. “Tenho aproveitado bastante o espaço das palestras da Sedi, o grupo de palestrantes é um grupo muito seleto, palestras internacionais interessantíssimas”.

Também foi destaque o estudo com o tema ‘‘Rondônia: Perfil de exportações e investimentos’’ apresentado na sexta-feira (24) pelo gerente de Estratégia de Mercado da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, Apex-Brasil, Igor Celeste, que destacou que o Estado dobrou as exportações em uma década e a projeção é que alcance muito mais mercados, principalmente através do interesse internacional pela soja e carne bovina.

O coordenador Anderson Augusto ressaltou a importância de organizar esse espaço: “novos produtos vêm surgindo nessa cadeia de exportação, e trabalhamos para trazer informação para o empresariado, que o mercado exterior existe, e que o produtor pode vender para esse mercado, que é muito maior que o mercado interno”.

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

A inteligência artificial foi uma das atrações para o agronegócio. Foi apresentado no segundo dia pelo grupo SOMAI o humanoide NAO, que significa cérebro em chinês, com assistente virtual e inteligência artificial voltada para a área agrícola.

Também foi focada a necessidade dos seguimentos educacionais estarem sintonizados com o momento que o Brasil está vivendo, com inovação e co-inovação em diversos setores que movimentam a economia nacional.

A utilização da inteligência artificial no agronegócio pode ocorrer no maquinário utilizado potencializando o agricultor em suas rotinas diárias. Um dos exemplos citados pelo coordenador da pasta, Thalles Gomes, é quando um robô que passa sobre a plantação usando inteligência artificial que identifica o que é uma erva daninha, tomando a decisão se é melhor retirar ou utilizar pesticida para o combate das pragas existentes na plantação.

Além do humanoide, também foram apresentados projetos voltados ao agronegócio pelo Instituto Federal de Rondônia (Ifro) tanto de Jí-Paraná quanto de Porto Velho, com aplicativos voltados ao segmento, como também a demonstração com a impressora 3D dos alunos da Unir.

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Mais de 27 estandes disponibilizados no espaço da Sedi permitiram que várias micro e pequenas empresas pudessem mostrar ao mundo os seus produtos.

Uma das expositoras foi a Mereilde, da Saboaria Rondônia, que expôs seus produtos que, como ela mesmo define, têm ‘o cheiro de Rondônia’. “São essências produzidas em Rondônia para o mundo. Todos os nossos produtos são elaborados a partir de óleos essenciais do nosso Estado”.

O coordenador Clébio Billiany argumenta que o desenvolvimento de Rondônia passa pela incentivo às micro e pequenas empresas, já que elas são responsáveis por empregar milhares de pessoas.

INDÚSTRIA, COMÉRCIO E AGRO

A indústria e o comércio também estiveram presentes na feira. As palestras dessa coordenadoria foram voltadas às áreas de investimentos em novas indústrias no Estado, como, por exemplo, o Programa de Incentivo Tributário ministrada pelo auditor fiscal do Estado Miguel Abrão.

Outro destaque nas palestras foi a sobre energia solar, com o engenheiro Vitor Sayegh, da empresa Energia Serviços de Engenharia, que esclareceu dúvidas sobre este segmento de prestação de serviços.

Muitos visitantes degustaram os produtos oferecidos pelos expositores. Em um único dia, por exemplo, mais de 80 litros de chop, 800 copos de refrigerantes, 1600 doses de café, 70 litros de suco natural e 50 garrafinhas de água de coco foram degustados.

As indústrias que participaram foram a Bernardo Alimentos, Arroz Rical, Alimentos da Hora, Alimentos Popy, Baterias Zoche, Portal do Óleo, Dydyo Refrigerantes. As empresas de comércio foram Rommanel, Saboaria Rondônia, Essenz Amazon, Única Uniformes, Cervejaria Coronel Church, Café 03 Marcas, entre outras.

A coordenadora Rosangela Silva avalia que vários segmentos de negócios foram fechados. “Nós pudemos notar uma grande satisfação de ambas as partes, não só com as expressivas negociações, mas com todo o conhecimento que abriu portas para que no futuro Rondônia esteja preparada para as novas fronteiras do desenvolvimento”.

Fonte: 010 - SECOM - GOV/RO

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias