Quinta-Feira, 07 de Março de 2019 - 14:32 (MINHA HISTÓRIA)

L
LIVRE

NO DIA DAS MULHERES, A TRAJETÓRIA DA UNESC CONTADA PELA MULHER QUE ACOMPANHOU TUDO DESDE O INÍCIO E BEM DE PERTO

No início da década de 1980, ao lado do esposo e de amigos, Native deixou o estado de São Paulo para conhecer o recém criado estado de Rondônia.


Imprimir página

Quem vê a serenidade no olhar de Natividade Cury, sempre acompanhando tudo o que acontece de sua mesa estrategicamente posicionada na secretaria acadêmica, não imagina a luta desta mulher para tornar e consolidar a Unesc uma referência no ensino superior, em toda a região Norte do Brasil.

No início da década de 1980, ao lado do esposo e de amigos, Native deixou o estado de São Paulo para conhecer o recém criado estado de Rondônia. A visita durou 30 dias, e praticamente todos os municípios foram visitados. “A princípio, nós viemos para Rondônia para analisar o estado, conhecer as potencialidades e analisar o que poderíamos implantar aqui. Conversamos com muitos prefeitos, fizemos todo o levantamento e voltamos para São Paulo”, conta Native Cury.

Algum tempo depois da visita a Rondônia, a família Cury foi surpreendida com um bilhete enviado pelo prefeito de Cacoal, Josino Brito, através de uma banda musical da Cidade de Tupi Paulista. “Foi algo muito interessante, a prefeitura de Cacoal contratou para animar o carnaval aqui, uma banda da nossa cidade, lá de Tupi Paulista. Nisso o Josino Brito ficou sabendo que um grupo de Tupi tinha interesse em investir em Cacoal e enviou, pela banda, um bilhete para o Cury. Depois do bilhete, Cury voltou à Cacoal para conversar com o prefeito”, relembra.

Conforme conta Natividade, na conversa com seu esposo, o prefeito deixou bem claro que o que ele mais queria para Cacoal era uma faculdade. Josino Brito propôs e Ismael Cury aceitou o desafio de implantar uma instituição. Como incentivo e apoio o município doaria uma área para a instalação da faculdade.

“O prefeito deu a área, que é essa mesmo em que estamos hoje. A área havia sido desocupada pelo Incra e possuia barracões antigos. O Josino deu o prazo de quatro anos para que as aulas começassem, se não o terreno teria que ser devolvido ao município. Aceitamos o desafio! Nos dois anos seguintes o Cury ficou em Cacoal, preparando todo o projeto de implantação da Faculdade e eu fiquei em São Paulo, com as crianças, que estavam estudando, e também trabalhando por lá, para que tudo desse certo e conseguíssemos implantar a primeira instituição de ensino superior privada de Rondônia”.

Com a aprovação do curso de Pedagogia, pelo Ministério da Educação, a Unesc iniciou as aulas em 1987, dois anos após a inauguração e dentro do prazo estipulado pelo prefeito de Cacoal, Josino Brito.

“Nesse ano, nos mudamos definitivamente para Cacoal. Vim com meus filhos Anny Sibelly, Fhariz Gilbran e Adriana Cristina, ao encontro do meu esposo Cury, para iniciarmos juntos a nossa trajetória em Rondônia”, recorda Natividade.

Este era só o começo! De 1985, quando foi criada, passando por 1987 quando iniciaram as primeiras aulas, até o pioneirismo e a tradição alcançados em 2019, a Unesc vivenciou muitas mudanças e evoluções. Natividade Cury tem acompanhado todas elas!

“Na minha trajetória dentro da Unesc eu já fiz de tudo, sempre subindo degrau por degrau. Hoje sou a diretora geral, mas já exerci o cargo de secretária, coordenadora pedagógica, diretora pedagógica. Também limpei muito chão e rodei muita prova no mimeógrafo” brinca.

Mas, realmente! Ao longo dos 34 anos de existência, a Unesc mudou muito e todas as mudanças sempre foram acompanhadas de perto por esta mulher de fibra, de atitude e de olhar sereno. “Eu ainda não posso dizer que me sinto uma pessoa realizada, pois sinto que a minha trajetória ainda não chegou ao fim. Estar na educação é o sentido da minha vida. É a educação que provoca a mudança que almejamos para o mundo em que vivemos. Saber que eu posso contribuir com a evolução de cada ser humano que passa pela Unesc é a missão da minha vida”, celebra Natividade Cury.

Assim como Native, muitas outras mulheres tem a sua trajetória entrelaçada com a história da Unesc. Ano após ano, centenas de mulheres contribuem não apenas com a consolidação da primeira faculdade de Cacoal, mas com os avanços nas mais diversas áreas do conhecimento. De acordo com o Censo do MEC, 68,7% dos alunos no ensino superior são mulheres. Na Unesc, a presença feminina é ainda maior. As mulheres correspondem a 69,3% dos alunos da instituição. Através da Educação, as mulheres não estão apenas alcançando seu lugar, mas superando todos os desafios, obstáculos e estatísticas.

Fonte: 015 - Assessoria

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias