Terça-Feira, 26 de Janeiro de 2016 - 15:09 (Dica de Leitura)

L
LIVRE

NESTE CARNAVAL, DIVIRTA-SE SEM DESCUIDAR DA AUDIÇÃO

O uso de protetores de ouvidos é essencial não só para músicos, mas também para aqueles que forem pular atrás de blocos e trios elétricos


Imprimir página

Oficialmente o carnaval é só daqui a duas semanas, mas em muitas cidades ele já chegou. As escolas de samba já estão com suas baterias afinadíssimas e muitos blocos já arrastam foliões pelas ruas. Porém, para curtir toda essa folia é preciso cuidar da audição, que pode ser prejudicada por todo esse barulho.

Medições realizadas em anos anteriores em baterias das escolas de samba e no volume das caixas de som dos trios elétricos nas ruas apontaram níveis de ruído impressionantes. Para se ter uma ideia, quem segue a 50 metros de um trio elétrico está exposto a um ruído de 96 decibéis, e quem fica logo atrás enfrenta um barulho ainda maior, que pode chegar a 120 decibéis, intensidade próxima a de uma turbina de avião. Os integrantes da bateria de uma escola de samba também estão às voltas com ruídos de até 110 decibéis. Vale lembrar que o ouvido humano suporta bem sons até 85 decibéis.

Qualquer pessoa que permaneça próximo a um som muito alto pode sofrer danos auditivos. Sensação de pressão nos ouvidos, zumbido e dificuldades para ouvir, no próprio dia ou no dia posterior à folia sãoconsequências da exposição ao barulho exagerado. E o que é pior, os efeitos podem ir além, como explica a fonoaudióloga Isabela Papera, da Telex Soluções Auditivas.

“Mesmo que esses sintomas apresentados logo após a exposição ao som elevado desapareçam, as células ciliadas, responsáveis pela audição, podem ter sido lesionadas. Então, os danos aparecerão com o passar do tempo, já que essas células não se regeneram e a perda auditiva é cumulativa”, explica.

Para quem pretende se esbaldar em blocos, bailes e trios elétricos, a fonoaudióloga recomenda uma distância mínima de 10 metros do equipamento de som, além do uso de protetores auriculares, que diminuem o impacto do barulho nos ouvidos. Os ritmistas também devem usar a proteção.

“Os ouvidos são sensíveis aos sons e ao excesso de barulho, tanto na intensidade, quanto no tempo de exposição. O protetor nos ouvidos atua diminuindo o som ambiente. Ele pode ser utilizado dentro das quadras das escolas de samba, durante o desfile dos blocos e escolas, e em bailes, permitindo que se escute a música em um volume aceitável”, recomenda a fonoaudióloga, que é especialista em audiologia.

Os protetores feitos com silicone e os atenuadores de acrílico da Telex são moldados de acordo com a anatomia do ouvido de cada usuário, de forma a ficar bem ajustados. São práticos, podem ser transparentes ou coloridos e são encontrados nas lojas da Telex espalhadas pelo país. Existem dois tipos: o que diminui o barulho ambiente em 15 decibéis e outro que promove uma redução em 25 decibéis do volume do som nos ouvidos.

 A exposição prolongada ao som alto, por anos seguidos, pode levar a vários tipos de perda auditiva, ao longo da vida, de acordo com a sensibilidade de cada indivíduo.  No Brasil, a Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia estima que 15 milhões de pessoas tenham algum tipo de perda auditiva.

 Cuide de sua audição para continuar brincando com alegria, ouvindo os sons da folia por muitos e muitos carnavais.

Fonte: assessoria de comunicação

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias