Sexta-Feira, 13 de Setembro de 2019 - 17:00 (Geral)

L
LIVRE

MUNDO PET: RONDÔNIA CRIA 434 MIL CACHORROS, 215 MIL GATOS E 883 MIL PEIXES ORNAMENTAIS

Segundo a entidade, existem 1.700 lojas no Brasil que comercializam rações, assessórios para cães, gatos, aves e pequenos mamíferos e répteis.


Imprimir página

Por Wanglézio Braga
da redação do NewsRondônia

A Região Norte concentra 6,3% da população pet brasileira. Esse foi o resultado obtido pelo Instituto Pet Brasil (IPB) sobre os dados do mercado pet no país. Nessa semana, o instituto apresentou dados curiosos, regionalizados, sobre os animais de estimação. Segundo a entidade, existem 1.700 lojas no Brasil que comercializam rações, assessórios para cães, gatos, aves e pequenos mamíferos e répteis.

Destacando os dados de Rondônia, 390 lojas que comercializam ração e acessórios para pets. Reúne aproximadamente 20 clínicas especializadas, e concentra 0,7% da população brasileira de animais de estimação, sendo mais de 434 mil cães e mais de 215 mil gatos. Peixes ornamentais e aves canoras são cerca de 883 mil.

Em porcentagens, Rondônia possui a terceira maior porcentagem da região norte, até mesmo mais que os estados do Acre e Amapá, eles registraram juntos 0,6%. O último lugar no ranking pertence a Roraima (0,2%). O Pará registrou o maior número da região norte com 3,1% da população animal de estimação. O Amazonas vem logo depois com 1,1%. Tocantins tem 0,6%, 0,1% a menos que Rondônia.

Em publicação do IPB, o presidente José Edson Galvão acredita que existe um grande potencial para o mercado pet nos estados como Acre, Amapá e Roraima.

"Observamos que a concentração de pets no mapa do Brasil acompanha a densidade populacional. Mas mesmo em estados menos populosos, como no Norte, há ampla oportunidade de negócios, pois o padrão é o mesmo em todo o país: o pet é cada vez mais um membro da família", disse.

Segundo ele, “o mercado pet, em 2009, deve chegar a R$ 36,2 bilhões em faturamento, alta de 5,4% frente ao ano passado. A participação do setor representa 0,36% do PIB, fatia grande o suficiente para superar os segmentos de utilidades domésticas e de automação industrial”.

Fonte: News Rondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias