Terça-Feira, 02 de Fevereiro de 2016 - 15:14 (Dica de Leitura)

L
LIVRE

MUDANÇA DE SÓCIOS NA EMPRESA FAMILIAR: E AGORA?

O mais comum é um sócio deixar de ser gestor, neste caso ele , bem como seus herdeiros, mantém o direito sobre a empresa


Imprimir página

Então chega o dia em que um sócio gestor quer deixar a empresa familiar. Não é o fim do mundo, afinal as mudanças sempre acontecem - é inevitável - e a empresa familiar não pode sair prejudicada com a decisão particular de um dos sócios. 

Eduardo Valério, diretor-presidente da JValério, especializada em empresas familiares,  ressalta que este tipo de situação deve estar prevista dentro do Acordo de Sócios para evitar surpresas desagradáveis.

Eduardo ainda entende que, como em qualquer decisão profissional, o familiar que pensa em deixar a empresa da família deve levar em consideração os seguintes fatores:

a) O seu desempenho está acima da média da empresa?

B) Está sendo bem avaliado pelos superiores, pares e subordinados?

c) Há perspectivas de crescimento e melhores oportunidades fora da empresa?

D) O clima na empresa tende a melhorar ou a piorar?

Esta reflexão pode ajudar muito no processo de decisão.

Causas mais comuns

Normalmente, dentro do universo do que leva um membro da família a querer deixar uma empresa familiar, Eduardo Valério destaca:

1. Conflito familiar de todo tipo de natureza, desde o desentendimento entre pai e filho até separação societária entre irmãos;

2. Cursos de aperfeiçoamento fora do país;

3. Falta de perspectiva de crescimento;

4. Desinteresse;

5. Baixo desempenho.

Mudou. E agora?

Ao deixar a empresa, a grande dúvida que fica é quem vai assumir todas as responsabilidades de quem saiu do grupo. A pessoa a assumir o posto vai dar conta do recado ou, as suas funções podem ser distribuídas dentre os demais sócios? Eduardo Valério aponta que quando isso acontece - e na maioria das vezes isso é planejado com boa antecedência -  a sua substituição pode ser feita tanto com a redistribuição das funções quanto pela substituição por um executivo de mercado ou da própria empresa. 

Ex-sócio e herdeiros

Outra grande dúvida que muitas pessoas podem te,r é se o fato de deixar de ser sócio significa deixar de ser herdeiro. Eduardo Valério esclarece este tema:

"Quando se deixa a sociedade, os herdeiros deste sócio também perdem o direito sobre a empresa pois, pressupõe que ocorreu o acerto de contas na saída da sociedade. O mais comum é um sócio deixar de ser gestor, neste caso ele , bem como seus herdeiros, mantém o direito sobre a empresa" afirma o especialista.

Fonte: assessoria de comunicação

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias