Sexta-Feira, 08 de Maio de 2020 - 16:17 (Cidades)

L
LIVRE

MEDICAMENTOS DE ALTO CUSTO SÃO ENTREGUES PELO GOVERNO DE RONDÔNIA À POPULAÇÃO EM VULNERABILIDADE SOCIAL DE JI-PARANÁ

Assim como o lanterneiro, o órgão estadual atende centenas de pessoas que dependem de medicamentos e não conseguem comprar devido ao alto custo.


Imprimir página

Aos 56 anos, o lanterneiro Antônio de Jesus Bonfim depende de ajuda do Governo de Rondônia para se medicar no tratamento de atrofiação dos nervos, que o acometeu há cinco meses. Desde então, mensalmente, ele retira gratuitamente o remédio na farmácia da 1ª Gerência Regional da Saúde (1ª GRS), órgão subordinado a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), em Ji-Paraná.

“Eu não tenho condições de comprar o remédio, pois custa muito caro, em torno de R$ 2.600,00 a caixa com 30 comprimidos. O governo faz esse serviço que é essencial para quem precisa do remédio e não pode comprar. No meu caso, nunca faltou o remédio”, declarou Antônio Bonfim, que depende do auxílio-doença para sobreviver, porque não pode mais trabalhar.

Assim como o lanterneiro, o órgão estadual atende centenas de pessoas que dependem de medicamentos e não conseguem comprar devido ao alto custo. O procedimento para ser beneficiado com essa ajuda é simples. Mediante o receituário e munido de documentação pessoal, o candidato a ingressar no programa do governo estadual deve procurar a 1ª GRS para receber maiores detalhes. O órgão está instalado na rua Júlio Guerra, 370, no centro.

Os medicamentos de alto custo são, geralmente, de uso contínuo e utilizados em tratamentos de doenças crônicas e raras. Por representarem custo elevado, demandam de regras e critérios específicos para que o paciente possa receber gratuitamente. O programa do governo estadual vem atendendo regularmente aos pacientes cadastrados. Além deste tipo de serviço, na 1ª GRS é possível conseguir gratuitamente nutrição enteral, que é um tipo de tratamento destinado a pessoas que não podem ou não conseguem se alimentar totalmente pela boca, em decorrência de problemas no aparelho digestivo. Em ambos os casos, a pessoa interessada deve se dirigir à Gerencia de saúde local.

“Estamos fazendo as entregas normalmente. Eventualmente ocorre algum atraso na chegada dos remédios devido ao momento pandêmico de coronavírus”, explica o responsável pelo setor, o farmacêutico Alexandro Dainez.

O gerente regional local, Ivo da Silva, informa que apesar da vivência em tempos de isolamento social, o serviço segue no órgão público. “Nossa recomendação é que os cuidados devem ser praticados evitando possível proliferação do coronavírus”, disse, referindo à postura dos servidores e das pessoas que necessitam dos programas ofertados pela saúde estadual.

Fonte: 015 - Secom - Governo de Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias