Sexta-Feira, 19 de Abril de 2019 - 14:56 (Política)

L
LIVRE

MARCOS ROCHA ALFINETA MINISTRO DO STF: 'PRESERVAR O LIVRE DIREITO DE EXPRESSÃO É UM DEVER DE TODOS OS PODERES'

Em sua rede social, o governador chegou a alfinetar os membros da corte maior de justiça e reafirmou a importância da liberdade de expressão.


Imprimir página

O governador de Rondônia, Marcos Rocha (PSL) se juntou aos demais políticos que repudiaram a censura imposta pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes e Dias Toffoli aos veículos de comunicação Crusué e Antagonista por reportagem intitulada “O amigo do amigo de meu pai”.

Conta à reportagem que a defesa do empresário Marcelo Odebrecht juntou em um dos processos contra ele na Justiça Federal em Curitiba um documento no qual esclareceu que um personagem mencionado em e-mail, o "amigo do amigo do meu pai", era Dias Toffoli, que, à época, era advogado-geral da União.

Na ocasião, o relator do inquérito, Alexandre de Moraes, havia estipulado multa diária aos meios de comunicação de R$ 100 mil para o eventual descumprimento da ordem judicial e mandou a Polícia Federal (PF) ouvir os responsáveis do site e da revista em até 72 horas.

Em sua rede social, o governador chegou a alfinetar os membros da corte maior de justiça e reafirmou a importância da liberdade de expressão. “Preservar o livre direito de expressão é um dever de todos os poderes que têm como missão serem guardiões dos princípios que regem a democracia. Sou contra qualquer cerceamento dessa liberdade. De opiniões jornalísticas à piadas. Ações contrárias a isso são graves e devem ser vistas como tal. A partir do momento que estabelecemos um limite, cultivamos juízos perigosos para a diversidade de pensamentos. O Estado deve trabalhar em prol desses pilares que sustentam a liberdade e não o contrário”, escreveu Marcos Rocha.

A publicação com posicionamento de Rocha, que teve amplo apoio dos seus seguidores, aconteceu antes do ministro Alexandre de Moraes revogar a censura aos dois veículos de comunicação. Nesta quinta-feira (18), o ministro voltou atrás da decisão e autorizou a republicação. 

 

Fonte: News Rondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias