Sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019 - 10:17 (MINHA HISTÓRIA)

L
LIVRE

MÃE DO TENENTE GONÇALVES CONTA COMO O FILHO ESTÁ APÓS NOIVA FALECER DE AVC NA PORTA DA IGREJA

Na última quarta-feira, 18 de setembro, o hospital que está cuidando de Sophia, a Pro Matre Paulista, emitiu uma nota e se prontificou a doar todo o tratamento da menina. Flávio não vai mais precisar pagar pela internação da menina.


Imprimir página

“Está sendo muito difícil filha, muito difícil mesmo. Mas a gente tem a Sophia e ele está sendo forte por ela”, disse Maria, mãe do Tenente Gonçalves, ao atender o telefone do filho nesta manhã da quinta-feira, 19 de setembro.

Após conversar com os amigos do tenente e respeitar o tempo dele para o luto, entramos em contato com o policial. Foi feita uma ligação para Flávio Gonçalves para conversar e saber como a família está se recuperando depois do triste acontecimento do último sábado, 14 de setembro. Ele acabou perdendo a noiva minutos antes do casamento acontecer, Jéssica sofreu um AVC e foi levada para uma maternidade no centro de São Paulo.

Ela estava grávida de uma menina, a Sophia, que veio ao mundo depois de uma cesárea de emergência. O telefone ficou chamando por muito tempo até que alguém atendesse e foi a voz de uma mulher quem nos responde. A pessoa que estava do outro lado da linha era a mãe do Tenente, dona Maria Gonçalves. Ela atendeu ao telefone do filho porque o pai de Sophia estava dormindo.

Maria disse que apesar do dia anterior ter sido marcado por grandes conquistas, foi duro e cansativo. Na última quarta-feira, 18 de setembro, o hospital que está cuidando de Sophia, a Pro Matre Paulista, emitiu uma nota e se prontificou a doar todo o tratamento da menina. Flávio não vai mais precisar pagar pela internação da menina. Ela ainda nos contou que o tenente passou a noite em claro com dificuldades para dormir e claro, que como uma mãe preocupada, Maria acompanhou a dor do filho.

Amiga da grávida que sofreu AVC antes do casamento conta como tudo aconteceu

A mãe de Gonçalves contou que o filho tem passado por momentos bem complicados e que está sendo muito duro lidar com a morte da noiva e com o processo do tratamento de Sophia. A bebê nasceu quando Jéssica estava em coma, mas ela ainda não tinha completado 7 meses de gestação.

O depoimento da amiga

Também conversou com uma amiga do casal, a Tenente Laura. Ela era uma das guarda de honra de Jéssica e estava na igreja quando tudo aconteceu. Elas nos falou como o resgate foi feito e como tudo aquilo pegou a família de surpresa.

Tenente Laura estudou com o “Gonça”, como é conhecido, por três anos na academia do Barro Branco da Polícia Militar de São Paulo e contou um pouco mais sobre como foi viver tudo isso ao lado do amigo.

Laura estava na igreja quando tudo aconteceu. Em entrevista exclusiva, ela começa dizendo que estavam do lado de fora para receber a noiva com aquela famosa cena de arcos de espada. “Estava esperando ela sair da limusine pra entrarmos na igreja, éramos sua guarda de honra, cerca de 16 oficiais da turma do 1º Ten PM Gonçalves, e ela não saía”, começa.

Depois explica que viu a correria das primas de Jéssica, que perceberam que algo não estava certo e foram chamar o noivo. “Vi uma de suas primas subir aparentando desespero e ir até o noivo. Aí ele passou apressado por nós e eu o segui”.

Foi Laura quem chamou o resgate quando percebeu que Jéssica realmente não estava bem. “Fiz a ligação pro SAMU quando a vi passando mal. O Resgate do Corpo de Bombeiros chegou primeiro juntamente de uma USA, que é uma viatura composta por um médico”.

A tenente formada junto com o noivo explicou que foram eles quem fizeram o primeiro atendimento e que até então, acreditavam que era apenas uma crise de estresse e ansiedade. “Até então achávamos que ela havia passado mal pela emoção e pelo estresse. Jamais imaginávamos o que iria acontecer”.

Por mais que o tenente possa estar cansado e fragilizado, Laura nos garantiu que o amigo e Sophia estão bem. “Ele tem uma força sobrenatural e a Sophia é a sustentação dele. Ela está estável e se recuperará perfeitamente”, encerra.

Entenda o caso

O sonho de construir uma família ainda é almejado por grande parte das pessoas e a chegada de um filho quase sempre é momento de muita alegria. Mas infelizmente o Tenente Gonçalves está precisando lidar com o misto de sentimento que é segurar um bebê com a dor de perder a companheira.

Acontece que o PM de São Paulo estava esperando para se encontrar com noiva no altar quando ela sofreu um AVC dentro da limousine, a caminho da igreja, só que Jéssica Victor Guedes, estava grávida de seis meses. A enfermeira foi levada para uma maternidade no centro da cidade, passou por uma cesárea de emergência, mas não resistiu.

E aos 30 anos, Jéssica teve morte cerebral. Os médicos fizeram o possível para que pelo menos a bebê sobrevivesse. Sophia foi bem forte e mesmo pesando cerca de 1 quilo, está lutando pela vida na UTI neonatal. O capitão do tenente e ela falou mais sobre o estado de saúde da bebê.

“Ontem, 14 de setembro, estávamos reunidos para celebrar o casamento do Tenente Gonçalves do 46º BPM/M e sua noiva, Jessica que estava grávida de 6 meses. No caminho para a cerimônia a noiva do Gonçalves passou mal, foi socorrida para a Maternidade Pro Matre onde foi feita uma cesária de emergência. A bebê Sophia de 6 meses está bem, apesar de ter apenas 1kg, está bem amparada na melhor maternidade de São Paulo, e ficará bem!”

Mas infelizmente, o PM está com problemas para manter a menina no hospital. “Devido ao casamento (que acabou não ocorrendo, igreja, festa, etc. Estava tudo pronto) o Tenente não tem recursos, porque gastaram todo o dinheiro no casamento”, conta o capitão que preferiu não se identificar.

Os amigos da corporação criaram uma Vakinha online para ajudar o colega de trabalho e também explicam a situação do tenente. “Nosso irmão Tenente Gonçalves e nossa princesinha Sophia precisam de nossa ajuda é solidariedade!! Juntos somos fortes! Sophia terá que ficar ao menos 2 meses no hospital e a diária é de 6 mil reais!!”

O mesmo capitão ainda concedeu acesso ao áudio envaido para o grupo da corporação sobre o aviso do acontecido com Jéssica. É possível ouvir um policial contado que o comando que estava de plantão quando ficou sabendo de uma chamada interna. Que uma grávida estava em coma e que a doutora responsável aconselhou que ela fosse levada para o Pro Matre.

Esse policial ainda continua e diz que quando a ambulância chegou ao local, Jéssica estava em coma leve e depois do parto emergencial, sofreu um AVC hemorrágico por volta de uma hora da madrugada e a morte cerebral foi confirmada as 4 da manhã.

 

 

.

Fonte: https://paisefilhos.uol.com.br/noticias/mae-do-ten

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias