Quarta-Feira, 16 de Outubro de 2019 - 15:00 (Cultura)

L
LIVRE

LIVROS CONTEMPLADOS POR EDITAL DA FAPERO SÃO LANÇADOS EM PORTO VELHO

O programa fomentado pela Fapero contemplou cerca de 12 obras para publicação e distribuição de cópias


Imprimir página

Por Gaia Bentes
Fotos: Daiane Mendonça

Como resultado das pesquisas realizadas por professores e pesquisadores do Estado de Rondônia, o edital do Programa de Apoio à Pesquisa para publicação de obras (PAP-Publica), fomentado pela Fundação de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa (Fapero), contemplou cerca de 12 obras para publicação e distribuição de cópias. Na tarde de terça-feira (15), os autores participaram do lançamento dos livros na Livraria Leitura, no Porto Velho Shopping.

O evento teve o objetivo de consolidar o processo de criação de conhecimento por parte dos pesquisadores locais e, em especial, os professores. “A geração de conhecimento se dá por meio de estudos e pesquisas, que dão origem a trabalhos, como artigos científicos e muitas vezes na forma de coletânea de livros, que são ferramentas de perpetuação e propagação do conhecimento, uma das maneiras mais democráticas de acesso a informação”, declarou o presidente da Fapero, Leandro Moreira Dill.

O programa PAP-Publica deve ser lançado anualmente, somado a um edital com edição temática, que também deve ser publicado em 2020, com trabalho desenvolvido junto à Secretaria Estadual de Educação (Seduc), em publicações voltadas à geografia e história de Rondônia, para que os livros possam ser utilizados na rede pública.

Seis autores participaram do lançamento, na livraria. Entre eles, a professora Jussara Pimenta, que conseguiu por meio do edital a premiação de um dos livros, entre as 100 melhores obras de bibliotecas do Brasil. Com a premiação em dinheiro, a autora fundou uma biblioteca em uma escola de ensino fundamental na Vila Princesa, em Porto Velho.

“Temos autores hoje com nível de produção tão bom quanto os autores de outros estados. A Fapero quer evidenciar esses autores e todo esse conhecimento e a mola propulsora para que isso aconteça é o Governo de Rondônia, que fomenta e estimula que os autores desenvolvam trabalhos que possam ser publicados na forma de livros, e nós conseguimos colocar esse pesquisador dentro do circuito nacional”, acrescentou Leandro.

A servidora pública, Maria das Graças, prestigiou o evento à convite de uma amiga e ressaltou a importância de pertencimento à cultura local. “Temos o hábito de valorizar o que vem de fora, não tendo conhecimento de que o lugar que vivemos tem excelentes pesquisadores, escritores, professores, pessoas que carregam a cultura nas costas. Um evento como esse é de extrema importância, porque não se vive sem conhecimento”.

Além da educação, outros temas, como geografia, história regional, filosofia, sociologia e tecnologia também fazem parte das obras contempladas. Conheça um pouco dos ançamentos:

O livro “Os solos no noroeste do Brasil: propriedades e potencialidades”, de Fábio Régis. Rondônia é um Estado rico no desenvolvimento da agropecuária. Segundo o autor do livro, em torno de 22% do PIB do Estado é movimentado por este setor. “Dentro da agropecuária, o fator primordial para uma boa produção e sustentabilidade é o manejo correto do solo, condições e técnicas que reduzam o impacto ambiental de possível solo em erosão”, temática que faz parte da obra, com 10 capítulos escritos em maioria por autores de Rondônia, que são frutos de palestras ministradas durante a 1ª Reunião de Ciência do Solo do Núcleo Noroeste (em 2016), da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. “Acredito que essa obra pode contribuir ainda mais para o crescimento da agropecuária do Estado de Rondônia”, disse Fábio.

O evento teve o objetivo de consolidar o processo de criação de conhecimento por parte dos pesquisadores locais e, em especial, os professores

“Representações e marcadores territoriais dos povos indígenas do corredor etnoambiental Tupi Mondé”, é de autoria do professor de geografia Adinilson de Almeida, que trabalha com populações indígenas em pesquisas relacionadas às culturas e representações. “Esses editais são muito importantes não só pra gente enquanto pesquisador, como fortalecimento aos grupos de pesquisas e programa de pós-graduação. A Fapero possibilita com isso a expansão de pesquisas no Estado de Rondônia e agora com as publicações”.

“Rio Madeira, seus peixes e sua pesca” também é uma coletânea de diversos autores, como a bióloga e professora Carolina Dória, que junto aos seus alunos desenvolveu estudos a partir de 2004 sobre os peixes e a pesca no Rio Madeira. Um compilado de informações levantadas sobre a importância da pesca para a comunidade ribeirinha e pescadores, as principais espécies de peixes e características da pesca na região.

“É um registro de como era a pesca antes da formação dos dois reservatórios (Santo Antônio e Jirau). É um marco histórico. A nossa intenção é que essa informação seja utilizada pelos pesquisadores, colônias de pescas e gestores”, explicou Carolina. O livro apresenta um capítulo escrito pelo biólogo Igor Santana, com registro histórico da pesca na antiga Cachoeira do Teotônio. “O interessante é que o Igor conseguiu relatar um pouco da história deles, quem era o dono de cada pesca, como eles faziam pra gerenciar a pesca no lugar que era comunitário, tem até um pouco de poesia no texto. Hoje não temos mais essa pesca, que era centenária e representava mesmo um diferencial com a pesca pedral na cachoeira”. Os livros impressos foram distribuídos gratuitamente para as lideranças de pesca e pescadores de várias comunidades, com escrita simples para fácil compreensão.

Os livros “Porto Velho: A urbanização e desafios para uma cidade centenária” e “Porto Velho: Cultura, Natureza e Território” são obras organizadas pelo geógrafo  Ricardo Gilson, após os eventos que marcaram a história de Rondônia, em 2014, os 100 anos da Capital e a grande cheia do rio Madeira. Após debates em reunião com professores de Porto Velho, as duas coletâneas foram escritas com artigos de autores locais, do Amazonas e de São Paulo. Essa obra tem foco no público acadêmico, porém pode ser utilizado pelos candidatos ao Enem e por pesquisadores.

O programa PAP-Publica deve ser lançado anualmente, somado a um edital com edição temática, que também deve ser publicado em 2020

“Desafios socioambientais das sociedades de consumo, informacional e tecnológica”, de Márcia Abib, é resultado de um esforço coletivo de acadêmicos do curso de Direito da Faculdade Católica de Rondônia, em parceria com instituições de outros Estados, e participação de profissionais do Ministério Público e Defensoria Pública, que desenvolveram uma coletânea de artigos a respeito do socioambientalismo. A obra é voltada à sociedade de consumo nos dias atuais, refletindo pesquisas que envolvem a realidade cultural e socioambiental do Estado de Rondônia.

A professora Jussara Pimenta conseguiu a contemplação de três obras voltadas à educação, “Biblioteca escolar: Memória, práticas e desafios”, com objetivo de refletir temáticas que auxiliem os profissionais docentes a pensar na biblioteca como um espaço de aprendizado e não apenas um local de armazenamento de livros, e os outros dois, “Docência na educação infantil: experiências e práticas na formação continuada” e “Docência, formação e práticas pedagógicas: experiências e pesquisas”.

A 1ª mostra de obras publicadas da Fapero permite a consolidação do cenário de reconhecimento e desenvolvimento de pesquisadores de Rondônia. O PAP-Publica destina-se a apoiar projetos de pesquisas que visam a divulgação e popularização da ciência e tecnologia do Estado, por meio do apoio com a publicação de revistas, livros, coletâneas, catálogos e editoração eletrônica técnico-científica, em todas as áreas do conhecimento, essencialmente preservando a história e cultura rondoniense para as futuras gerações. Esse apoio é dotado para difusão de conhecimento técnico ou tecnológico, que sejam relevantes para o desenvolvimento econômico, social e cultural do Estado.

Todos as obras contempladas podem ser baixados de forma gratuita na rede social da Fapero e os livros impressos estão sendo distribuídos às escolas e bibliotecas de Rondônia.

Fonte: Secom/gov-ro

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias