Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019 - 14:24 (Colaboradores)

L
LIVRE

LENHA NA FOGUEIRA: FLOR DO MARACUJÁ EM PATRIMÔNIO CULTURAL IMATERIAL DE PORTO VELHO

Ora meus amigos, o mais importante disso tudo, é o vereador conseguir aprovar o Projeto e transforma-lo em Lei e pronto.


Imprimir página

Senhores da cultura hoje (ontem) estará sendo votado uma lei de autoria do vereador professor Alex onde será de grande valia para o Flor do Maracujá, então solicito que os presidentes estejam hoje à tarde a partir das 15 horas, essa lei tem tudo haver com o nosso colaborador professor Marcos Teixeira, que solicitou ao nobre vereador e fomos atendidos. Espero vocês lá na Câmara Municipal, não esqueçam que foi lá que o martelo foi batido.

O vice-presidente da Federon postou no grupo da Federação, contestando a autoria do Projeto apresentado pelo vereador que transforma o Flor do Maracujá em Patrimônio Cultural Imaterial de Porto Velho. O texto acima postado pelo presidente da Federon diz que quem solicitou a apresentação do Projeto de Lei ao vereador, foi o professor Marco Teixeira. Aí vem o vice-presidente da Federon e diz que foi ele quem passou o Projeto ao Fernando.

Ora meus amigos, o mais importante disso tudo, é o vereador conseguir aprovar o Projeto e transforma-lo em Lei e pronto.

Essa "briguinha" de EGO não leva a nada, até porque, nós, seres humanos comuns (quer dizer não políticos), não temos como ver, um Projeto aprovado pelos políticos, sejam vereadores, deputados estaduais ou federais. O mais que conseguiremos é ver o nome citado na hora do discurso da apresentação do Projeto aos demais pares, seja vereadores ou deputados. Depois disso a O Projeto passa a ser tratado como propositura do político que o apresentou.

Temos apenas que festejar, caso o Projeto seja aprovado e agradecer, por contarmos com um vereador como o professor Alex Palitot que teve a vontade de apresenta-lo para aprovação ou não.

O resto é questão de Ego, coisa que fica para aqueles que não tem realmente compromisso com a cultura da sua cidade, município ou estado. Só olham para o próprio umbigo.

Apesar de não ter ideia formada, sobre qual a vantagem de ter um bem, transformado em patrimônio cultural imaterial. Devemos festejar caso o vereador consiga aprovar o Projeto, que transforma o Arraial Flor do Maracujá em Patrimônio Cultural e Imaterial da cidade ou do município de Porto Velho.

Mesmo sabendo que os grupos folclóricos que se apresentam no Flor do Maracujá, não vão ganhar nada, em se tratando de recursos financeiros, para suas apresentações no Arraial.

Basta lembrar que o que está sendo tombado é o Arraial Flor do Maracujá e não os Grupos Folclóricos que se apresentam no Flor do Maracujá.

O interessante seria reconhecer o estilo de dançar quadrilha pelos grupos da cidade ou município de Porto Velho. Seria reconhecer o estilo da brincadeira de Boi Bumbá dos grupos da cidade ou município de Porto Velho.

Você sabia que o estilo das nossas quadrilhas juninas se apresentarem é único no Brasil? Só nós, temos os personagens; Seringueiro e Caçador; Velho e Velha e até o Cangaço.

Você sabia que o personagem BICHO FOLHARAL só existe na brincadeira de Boi Bumbá de Porto Velho, nem mesmo em Guajará Mirim esse personagem faz parte da brincadeira.

Então, em minhá opinião, esses personagens é que deveriam ser transformados em PATRIMÔNIO IMATERIAL DA CIDADE OU MUNICIPIO DE PORTO VELHO.

Daqui uns dias, entra um governo que, por não gostar de dança folclórica, não realize o Arraial Flor do Maracujá e aí quero ver quem é que vai fazê-lo voltar atrás, porque o Arraial é Patrimônio Imaterial.

Pra não ficar apenas nesse questionamento. Fui informado que devido à falta da apresentação de uma PRESTAÇÃO DE CONTAS.

Um grupo folclórico considerado grande pode ficar fora do Flor do Maracujá este ano.

Fonte: 015 - Silvio Santos / NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias