Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019 - 15:06 (Polícia)

18
Não recomendado para menores de 18 anos

JOVEM QUE FUMAVA MACONHA É MORTO A TIROS

A vítima foi abordada por quatro agentes quando saiu de uma boate, em Guarulhos, para fumar um cigarro de maconha


Imprimir página

Quatro guardas civis municipais (GCM) foram presos acusados de envolvimento na morte do estudante Lucas Magaton Almenara, 23 anos, na última sexta-feira (15/11/2019). A vítima foi abordada por eles quando saía de uma boate no bairro Jardim Cocaia, em Guarulhos.

De acordo com informações do jornal Agora, Lucas saiu com um amigo, ambos foram para a boate por volta de 00h10 de sexta. Os dois ficaram no local até umas 4h50, quando saíram para fumar um cigarro de maconha do outro lado da rua.

Um segurança os abordou e teria dado um soco no rosto do jovem. Ao ser questionado sobre a agressão, o homem afirmou ser policial e sacou uma pistola calibre 380.

Lucas e o amigo então correram por cerca de 600 metros, até chegarem às margens de um riacho. O estudante foi alcançado pelo segurança que havia sacado a arma e também por outro suspeito.

Em depoimento, o colega afirmou ter ouvido Almenara gritar “não faz isso não senhor” a um dos homens. Em seguida, a testemunha ouviu entre quatro e cinco disparos, e a fuga dos seguranças.

A testemunha permaneceu cerca de 20 minutos escondida no mato. Depois disso, correu aproximadamente um quilômetro até o Hospital Municipal de Urgências, onde se deparou com dois policiais militares.

Outros agentes se encaminharam às margens do riacho e encontraram a vítima no local ainda com vida. Ela foi encaminhada ao hospital Padre Bento, mas não resistiu aos ferimentos.

Policiais civis foram à boate e encontraram os dois seguranças, que afirmaram ser guardas. Diferentemente do que foi dito pelo amigo de Lucas, eles afirmaram que outros dois GCMs de serviço teriam feito a abordagem aos jovens. Momentos depois, os quatro suspeitos foram levados à delegacia.

Eles foram presos em flagrante por homicídio duplamente qualificado (motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima). Foram apreendidas sete armas de fogo, sendo quatro pertencentes à GCM de Guarulhos e três de uso pessoal dos agentes.

Fonte: 015 - Metrópoles

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias