Quinta-Feira, 10 de Outubro de 2019 - 17:33 (Esportes)

L
LIVRE

ITAIR MACHADO PEDE DEMISSÃO E DEIXA CARGO DE VICE-PRESIDENTE DE FUTEBOL DO CRUZEIRO

Saída de gerente foi tema de reuniões no clube entre apoiadores do presidente Wagner Pires de Sá e oposição


Imprimir página

Itair Machado está fora da cúpula do Cruzeiro. O vice-presidente de futebol do clube renunciou ao cargo, nesta quinta-feira, diante da grave crise institucional e financeira, que têm refletido na campanha do time em campo. Ex-presidente do Ipatinga, o dirigente era considerado “braço direito” do presidente Wagner Pires de Sá, que pode ser afastado do cargo em reunião extraordinária do conselho cruzeirense, convocada para o dia 21 de outubro.

A permanência de Itair à frente do futebol da Raposa era tratada como empecilho nas tratativas de consenso entre as várias correntes do clube. Segundo fontes ouvidas pelo clube, nenhum possível investidor estaria disposto a aportar dinheiro no caixa cruzeirense, caso o dirigente se mantivesse com poder de decisão na cúpula da Raposa.

Nos últimos dias, Itair Machado vinha buscando, nos bastidores, uma composição com as lideranças de oposição no clube para que ele seguisse na direção mesmo com a saída da cúpula. Zezé Perrella, presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, tem se mostrado contra à aproximação de Itair. Na última sexta-feira, Sérgio Nonato, também conhecido por Serginho, outro pilar da atual administração cruzeirense, renunciou ao cargo de diretor geral, alegando a intenção de tentar “pacificar o clube”.

Em 2017, ao lado de Sérgio Nonato, Itair coordenou a campanha que levou Wagner à presidência do Cruzeiro. Ainda na gestão de Gilvan de Pinho Tavares, Itair promoveu profundas mudanças na cúpula do Cruzeiro e esteve presente na renovação de contrato do técnico Mano Menezes e no polêmico retorno de Fred, caso que está Justiça, entre outras negociações. Por causa disso, tão logo foi efetivado como vice de futebol remunerado, Itair chegou a recebeu uma gratificação de mais de R$ 500 mil por causa dos serviços prestados antes de tomar posse com a nova diretoria.

Altos Salários

Mesmo com o Cruzeiro enfrentando graves problemas nas finanças, Itair Machado chamou a atenção pelo alto salário que recebia do clube – R$ 180 mil mensais, segundo o próprio presidente – além de premiações com valores muito acima dos praticados, de acordo com títulos e metas atingidas. No primeiro ano de gestão, segundo o balancete com os gastos do clube, Itair recebeu mais de R$ 3 milhões do Cruzeiro. No contrato de trabalho, avalizado pela presidência e também por ele mesmo, o dirigente registrou cláusula que que lhe garantia o direito a receber multa rescisória no valor de R$ 2 milhões, de forma unilateral, caso fosse dispensado pelo Cruzeiro.

Negociação Arrascaeta

A negociação para a transferência do meia Arrascaeta ao Flamengo fez Itair Machado ganhar notoriedade nacional por causa das declarações rechaçando a saída do jogador, que acabou deixando a equipe. Ele também esteve ligado a outras transações controversas, envolvendo atletas do Cruzeiro, que resultaram em altas comissões dadas a intermediários e processos na Justiça, como no caso da ida de Mayke para o Palmeiras.

Investigação da Polícia

Itair Machado e Wagner Pires de Sá foram os principais nomes citados em reportagem do Grupo Globo sobre denúncias de irregularidades, envolvendo a administração do Cruzeiro (reveja no vídeo acima). Um dos fatos apresentados na matéria diz respeito ao contrato de um empréstimo financeiro, assinado pelo Cruzeiro, com um empresário, que recebeu da diretoria os direitos econômicos de dez jogadores, do elenco profissional e categorias de base, prática proibida pela Fifa. Entre eles está o garoto Estevão Willian, de 12 anos, que ainda não tem contrato profissional com o clube. Em coletiva , no dia seguinte à exibição da reportagem, Wagner e Itair rebateram as denúncias.

Pouco depois, com o time já passando por queda de rendimento em campo, Itair foi afastado do cargo pela Justiça, por causa de ação baseada em condenações trabalhistas, previdenciárias e criminais contra o vice de futebol. Mesmo impedido e também suspenso pelo Superior Trinunal de Justiça Desportiva (STJD), por causa de ofensas à Federação Mineira de Futebol (FMF), ele continuou exercendo as funções no clube. Itair chegou a ser nomeado com assessor da presidência. No entanto, no início de setembro, o dirigente conseguiu retornar ao cargo de vice de futebol, depois que o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) reverteu a tutela da liminar que o afastou da direção do Cruzeiro.

Durante o tempo em que esteve “afastado” pela Justiça, Itair viu o técnico Mano Menezes deixar o clube, que contratou Rogério Ceni para assumir a vaga. Esse último, após desentendimento com os jogadores nos vestiários do estádio Castelão, onde o Cruzeiro havia empatado com o Ceará em 0 a 0, foi demitido após 46 dias de trabalho. Itair foi o responsável por anunciar a chegada de Abel Braga, terceiro treinador do time na temporada.

Fonte: Francisco Rodrigo/Newsrondonia - GE

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias