Terça-Feira, 07 de Maio de 2019 - 16:22 (Saude)

L
LIVRE

INVESTIMENTOS NA ÁREA DE OFTALMOLOGIA FAZ CRESCER O NÚMERO DE ATENDIMENTOS NA POLICLÍNICA OSWALDO CRUZ

Em 2018, a Policlínica Oswaldo Cruz (POC) encerrou o ano com recorde de atendimentos.


Imprimir página

Em 2018, a Policlínica Oswaldo Cruz (POC) encerrou o ano com recorde de atendimentos. Foram realizadas mais de 25 mil consultas clínicas, 14 mil exames oftalmológicos e mais de 1.800 cirurgias dos tipos: catarata, degeneração macular e retinopatia diabética, doenças que provocam diminuição na capacidade visual podendo levar à cegueira.

Tairine Silveira diz que a filha de apenas cinco anos está entre as beneficiadas com a cirurgia ofertada pela policlínica. A criança tinha estrabismo, desequilíbrio na função dos músculos, conhecido popularmente como “vesgueira”, que faz com que os dois olhos não fixem o mesmo ponto ou objeto. Segundo a mãe, após a cirurgia realizada na POC, a criança teve grande melhora na visão. “A médica tem mãos de fada porque o olho dela era muito tortinho e prejudicava minha filha em tudo o que ela fazia. Depois da cirurgia, quando eu vi o resultado, achei muito bom. Hoje ela enxerga bem”.

O coordenador estadual de oftalmologia, Richael Menezes, diz que os resultados positivos são frutos de investimentos e maior capacitação no corpo técnico da policlínica. Segundo ele, só este ano, nos 100 dias do governo Coronel Marcos Rocha, foram investidos mais de R$ 600 mil na compra de novos equipamentos, insumos e na realização de cirurgias.

“Com esse investimento, nós operamos durante um período de 3 a 4 meses. Já temos compras programadas, além do planejamento para que não falte material e o estoque fique vazio. Quanto mais investimento na área, mais pessoas são beneficiadas”.

Antônio Flávio diz que o pai, Raimundo da Silva, está muito feliz por realizar o exame de biometria ocular na rede pública. Raimundo tem catarata, doença que causa uma espécie de fumaça nos olhos. O exame de biometria ocular é para o pré-operatório. “Na rede privada esse exame é caro, custa mais de  R$ 300. Mas graças a Deus a gente conseguiu o exame de graça aqui na POC pelo governo. Pra quem não tem condições, isso aqui ajuda muito”.

O coordenador deixa ainda algumas dicas para cuidar da saúde dos olhos. “É preciso sempre lavar as mãos, ter cuidado com a exposição ao sol, utilizando sempre óculos escuros e originais. Além de evitar a exposição excessiva a celulares e computadores, principalmente as crianças que estão na fase de desenvolvimento”, finalizou o coordenador.

Fonte: 015 - Secom - Governo de Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias