Terça-Feira, 04 de Junho de 2019 - 18:10 (Geral)

L
LIVRE

GOVERNO LIBERA DRONE DO DNIT PRA GEORREFERENCIAR TRECHO DA MADEIRA MAMORÉ ATÉ GUAJARÁ-MIRIM

À nova data, não garante o mesmo quadro a nível local devido a questão de agenda dos convidados ministeriais que iriam a outros pontos da Amazônia.


Imprimir página

Porto Velho, RONDÔNIA – Depois de um périplo de sucesso por Brasília, o Vice-Presidente da Associação dos Ferroviários da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (ASFEMAM), George Telles, divulgou nesse domingo (2) parte dos avanços das tratativas junto ao governo do Presidente Jair Messias Bolsonaro.

De acordo com ele, 'dessa vez foi dado o melhor das autoridades na história de luta pela retomada da Ferrovia, inclusive até a fronteira bi-nacional entre Brasil e a Bolívia'. Segundo relatou, o DNIT nacional irá fazer o georreferenciamento do trecho completo da ferrovia com a utilização de um poderoso drone.

- Essa medida foi tomada durante sucessivas audiências entre ASFEMAM e cúpula da Diretoria Nacional de Ferrovias do DNIT e setores do ministério da Infra-Estrutura do governo, pontuou George Telles, O Carioca.

Além do Georreferenciamento que vai de atestar a real situação em que se encontra a malhar férrea da Madeira Mamoré até Guajará-Mirim, a 336 quilômetros da Capital rondoniense, a Associação dos Ferroviários obteve garantia de liberação de até R$ 20 milhões a serem usados durante o processo de recuperação da ferrovia que, provavelmente, deverão vir a ser somados outros montantes oficiais.

A liberação desses recursos foi aventada durante reuniões técnicas ocorridas, com a participação incontinenti dos ferroviários, na sede do DNIT estadual e trouxe a Porto Velho dois engenheiros que atuam no Plano Nacional de Ferrovias. Não obstante a concessão do Complexo Ferroviário ao Município  Carioca defende, a participação do Estado no projeto.

Carioca considerou sua passagem por Brasília, em nome da Associação dos Ferroviários, se comparada às gestões anteriores 'muito proveitosa' porque há novos rumos para se chegar até a retomada final da denominada 'Ferrovia do Diabo'. Segundo ele, 'as negociações dos últimos anos, culminaram em 2019 no melhor no período da história dos que deram a vida pela ferrovia'.

Ele revelou, porém, que o adiamento da retomada da Litorina sobre os trilhos de até 2,3 quilômetros frustrou a presença inesperada de uma alta patente da Presidência da República face à importância que dada ao evento por essa autoridade e comitiva palaciana. À nova data, não garante o mesmo quadro a nível local devido a questão de agenda dos convidados ministeriais que iriam a outros pontos da Amazônia.

Do ponto de vista histórico, é da Associação dos Ferroviários toda a parte maior dos avanços obtidos junto ao Governo Federal (DNIT, IPHAN, SPU,Ministério da Cultura, Planejamento e Presidência da República). Segundo Carioca, 'foi da ASFEMAM a realização das cinco Ações Civis Públicas, com apoio do Ministério Público Federal (MPF + o MPE) que trataram do tombamento da EFMM e a revitalização do Complexo Ferroviário'.

À nível local, os ferroviários sob a liderança do presidente José Bispo de Morais, 86, pretendem imprimir, juntamente com os parceiros e apoiadores, com a retomada da Litorina aos trilhos a partir do próximo dia 9, 'igualmente, a reconstrução da identidade de Porto Velho como uma cidade de cultura ferroviária e não fluvial'.

Além do vagão movido a motor (Litorina), com disponibilidade para transportar 14 pessoas (+ o maquinista), é intenção da ASFEMAM, após a elaboração do georreferenciamento pelo DNIT, 'estendermos o atual traçado para ampliar a grade de passeios, readequando-a às instalações e a incentivar o turismo receptivo durante todo o percurso, como ocorria no passado', sugeriu Carioca.  

- Essa é a grande chance que o Município, o Estado e a União Federal têm de darem estímulo ao desenvolvimento da base do turismo ferroviário de alto rendimento, como já é considerado em todo o mundo, completaram Carioca e José Bispo de Morais.  

Fonte: Xico Nery - News Rondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias