Quinta-Feira, 20 de Fevereiro de 2020 - 16:14 (Economia)

L
LIVRE

GOVERNO FEDERAL ARRECADA R$ 174,9 BI EM JANEIRO

Alta foi de 4,69% em comparação com janeiro de 2019 e de 18,3% com dezembro do ano passado


Imprimir página

A arrecadação federal encerrou janeiro de 2020 em R$ 174,9 bilhões, alta de 4,69% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram arrecadados R$ 160 bilhões, já descontada a inflação.

O montante no primeiro mês deste ano é o maior de toda a série histórica, iniciada em 1995. Os dados foram divulgados na manhã desta quinta-feira (20/02/2020) pela Receita Federal.

Em comparação com dezembro do ano passado, quando o governo federal arrecadou R$ 147,5 bilhões com tributos, janeiro registrou alta de 18,3%.

Ao se analisar os últimos 12 meses, a Receita registrou R$ 1,551 trilhão de tributos, crescimento real acumulado de 2,27%.

No primeiro ano do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a arrecadação foi de R$ 1,537 trilhão, maior dos últimos cinco anos.

Houve alta ainda de 5,02% no valor arrecadados em dólar nas importações e de 4,1% na venda de bens, segundo a Receita Federal.

Apesar de o mercado automobilístico registrar um aumento na produção no ano passado, o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) registrou queda de 13,62%.

“Nem sempre o IPI vai estar vinculado diretamente às vendas de carros”, explicou o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros, auditor-fiscal Claudemir Malaquias.

Desempenho

Uma das justificativas que explicam o resultado foi o resultado da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), que cresceu R$ 7,357 bilhões na comparação com janeiro do ano passado.

Ao se excluir os principais fatores não recorrentes, o resultado final da Receita cresceu 2,91% em janeiro deste ano, comparado ao mesmo mês de 2019.

A Receita considera fatores atípicos quando o recolhimento de empresas em janeiro é relativamente bem maior em comparação com meses anteriores. Ou seja, quando o crescimento é acima do esperado.

Para o subsecretário de Política Fiscal do Ministério da Economia, Marco Cavalcanti, o aumento da arrecadação federal também é justificada por uma retomada econômica do país.

“Houve uma surpresa positiva neste mês. Pode ter haver com alguns fatores recorrentes explicados pela Receita, mas pode ter a ver também com a recuperação da atividade econômica.

Fonte: Tácio Lorran / Métropoles

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias