Terça-Feira, 25 de Fevereiro de 2014 - 12:13 (Colaboradores)

FOLIÕES OU POLÍTICOS QUE SE DIVERTEM NO CARNAVAL. VOCÊ CONCORDA OU DISCORDA?

Um assunto muito polêmico, e ao mesmo tempo muito bom de se refletir.


Imprimir página

Este é um ano de muita atipicidade, principalmente com o Estado de Rondônia e a Capital Porto Velho. Muito em conta das enchentes que vem castigando os nossos povos espalhados pelos ribeirinhos, Distritos e pasmem, Centro da Cidade. As ruas tornaram-se um caos, com saída apenas pelas ruas adjacentes, como Av. Brasília, para quem mora deste lado da Zona Sul, e BR 364. Mas um ocorrido me chama atenção, de como tem pessoas que estão reclamando dos políticos em geral que tiram fotos em blocos de carnaval e postam no facebook. Dizem que é falta de respeito, falta de solidariedade com o próximo, falta de amor, e o pior que ainda proferem palavras de baixo calão para a pessoa deste.

Pois bem, devemos analisar da seguinte forma: Um gesto de caridade de qualquer político que seja, não é superior ao seu. Nem em partes, nem como um todo! A sua iniciativa de ajudar alguma família que está em situação de risco, é tão nobre quanto a dele, contribuindo com donativos, ou até com dinheiro. (Despreze campanhas políticas, ou aproveitamento de situação.) Portanto, se você acha que se um homem público tirar uma foto no bloco de foliões, e postar no facebook é uma falta de respeito com as famílias desabrigadas, então, se você também tirar uma foto e postar e ela não seja estando em disponibilidade dos ribeirinhos, você está cometendo o mesmo erro do que ele. Ou, pior ainda!

Infelizmente há pessoas que não entendem isso, e jogam as responsabilidades apenas para os gestores públicos, e esquecem que nós temos total obrigação de fazer nossa parte. Mas, fomos criados na ideia de que devemos receber tudo. Dar? Nunca!

Esperar a iniciativa dos outros não é muito eficaz, a maneira em que começamos a empreitar um objetivo, isso faz com que o próximo seja contagiado com o mesmo fervor ao qual você já possuía antes, ou até mais. Mas, porém, temos que dar o primeiro passo, pois ele será, sempre, o pior!

Não espere as pessoas terem compromissos com você. Tenha compromisso com elas!

"Primeiro vieram buscar os pobres, mas eu não me importei porque não era pobre.

Depois vieram buscar os judeus, mas eu não me importei, eu não era judeu!

Em seguida pegaram os crentes, mas continuei não me importando, eu era ateu.

Não pararam, e continuaram a levar os escravos, mas eu não me importo. Nunca fui escravo.

E por fim, me levaram... E ninguém se importou comigo.

Mas... Como eu irei querer que as pessoas se importem comigo, sendo que eu nunca me importei com elas?"

Por Uirá Fróes

Fonte: Uirá Fróes

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias