Domingo, 19 de Maio de 2019 - 07:20 (Geral)

L
LIVRE

FERROVIÁRIOS OBTÊM APOIO DECISIVO DO DNIT PARA VISTORIA TÉCNICA NOS TRECHOS DA MADEIRA MAMORÉ ATÉ GUAJARÁ-MIRIM

Marcelo Chagas esteve em 2018, em Porto Velho, quando reuniu com os ferroviários e engenheiros do DNIT-Rondônia e do Consórcio Santo Antônio Energia (CSA-E).


Imprimir página

Porto Velho, RONDÔNIA – Uma das missões atribuídas ao Vice-Presidente da Associação dos Ferroviários da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (ASFEMAM), George Telles de Menezes (Carioca), foi realizada com sucesso na quarta-feira 15, em Brasília.

O dirigente, apesar das dificuldades para cumprir parte da agenda junto a Ministérios, Congresso e em audiências palacianas, obteve a garantia do Diretor de Infra-Estrutura de Ferrovias do DNIT (Departamento Nacional de Infra-Estrutura Terrestre), engenheiro Marcelo Pinheiro Chagas, “de que toda a malha férrea da nossa Ferrovia do Diabo será vistoriada”.

Marcelo Chagas esteve em 2018, em Porto Velho, quando reuniu com os ferroviários e engenheiros do DNIT-Rondônia e do Consórcio Santo Antônio Energia (CSA-E). Na ocasião o projeto de recuperação da Madeira Mamoré foi discutido, bem como a disponibilidade do uso de dinheiro previsto no cronograma de obras oriundas das compensações acordadas com o Governo Federal.

Carioca tem estado, além do DNIT, nos ministérios do Planejamento, Cultura e do Turismo, ao menos desde 2009. Os avanços têm sido visíveis nos périplos que faz entre a Capital rondoniense e o Distrito Federal. Nessas ocasiões, o assunto é sempre dá celeridade ao projeto de revitalização do Complexo Ferroviário, à legendária Vila dos Ferroviários, ao tombamento da Ferrovia até Guajará-Mirim, com destaque à volta da Litorina sobre trilhos entre a Estação Central, Museu Rondon e ao antigo Casarão da EFMM.

Nas tratativas com os engenheiros do DNIT, o Vice-Presidente da ASFEMAM tem discutido amplamente, não só a parceria financeira com o Consórcio Santo Energia Sustentável (CSA-E) com a observância nas compensações, mas também, com o governo do Estado e o município.

- Todos devem se envolver no projeto de recuperação de Estrada de Ferro Madeira Mamoré, proposta essa já afiançada pelo Governo Federal às demais ferrovias do País, assinalou Carioca.

No retorno de Brasília previsto para sexta-feira 17, Carioca informou que, com o compromisso de organizar parte da agenda do Diretor de Infra-Estrutura de Ferrovia do DNIT, Marcelo Chagas, no que tange aos ferroviários, Carioca pretende transformar “a vinda dele num grande momento cidadão” e que deve ser compartilhado por toda a população, além da presença marcante das autoridades.

Para isso, ele manterá contato com representantes da Federação do Comércio (FECOMÉRCIO), Federação das Indústrias de Rondônia (FIERO), Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Associação Comercial (ACR), Câmara de Vereadores, Assembléia Legislativa do Estado (ALE-RO), Prefeitura de Porto Velho, 17ª Brigada Militar (Exército Brasileiro), Universidades e instituições já envolvidas no processo do tombamento, recuperação e revitalização do Complexo Ferroviário.

Fonte: News Rondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias