Sabado, 15 de Junho de 2019 - 11:00 (Colaboradores)

L
LIVRE

EXCLUSIVO - ALUNOS DA ÁREA RURAL DESISTEM DE ESTUDAR POR FALTA DE ÔNIBUS ESCOLAR E SECRETÁRIO DA SEMED DIZ QUE 'PROBLEMA ESTÁ QUASE RESOLVIDO'

Diversos veículos da empresa FREITAS são abandonados em beira de estrada, até por um simples pneu furado, e mesmo assim são contabilizados como se estivesses operando.


Imprimir página

Com aproximadamente 70 ônibus atendendo, de um total de 140 contratados, empresa FREITAS segue descumprindo o contrato emergencial e ainda conta com a concordância do secretário MARCIO FELIX. 

12 distritos ainda estão sem o serviço de transporte escolar, alguns desde o ano de 2017, deixando assim, milhares de crianças fora da sala de aula e sem seus direitos básicos e fundamentais de acesso à educação.

As localidades que dependem do serviço que ainda estão sem aula, são: Cujubim, União, Aliança, Riacho Azul, C-25, Estrada da Coca-Cola,Linha 21 de Abril, Setor Chacareiro, Joana D'Árc, Vila DNIT, Jerusalém da Amazônia, Belmonte.

Pais de alunos da Vila DNIT, Cujubim, 21 de Abril e União já estão desistindo de lutar por direito a educação a seus filhos, e já falam abertamente que "mais um ano está perdido e que não tem mais esperança de ver seus filhos na escola."

Alguns pais já estão abandonando suas propriedades e providenciando mudança para a a área urbana, com esperanças que seus filhos voltem a ter aula ainda este ano.

Os Distritos da Ponta do Abunã estão funcionando precariamente, já que a empresa não paga os salários de seus funcionários e os mesmos vão parando o serviço. E quando os motoristas reclamam do salário, e ameaçam parar, são demitidos e a empresa os ignora, e quando responde, só dizem que estão preparando a rescisão o mais rápido possível. Em Extrema por exemplo, apenas 4 ônibus estão operando.

Na última quinta-feira a empresa mandou um caminhão tanque ir abastecer alguns veículos que estavam parados com "pane seca" e os mesmo foram ficando na beira da estrada. Outro ônibus ficou por duas semanas parado por causa de um pneu furado, já que o mesmo não possui estepe.

Outro grande problema que vai deixando as comunidades mais próximas da capital sem o devido serviço é quando a fiscalização do DETRAN/PTRAN acha de trabalhar e recolher os ônibus irregulares. No pátio do Detran de Porto Velho se encontram sete veículos, e no da PRF mais 4, e mesmo assim o secretário MARCIO FELIX fala para imprensa que a EMPRESA INFORMOU (e ele acreditou) que tem 112 ônibus operando e que em 20 dias todos os 140 vão estar atendendo as comunidades.

Na semana passada esse blogueiro esteve nos distritos da Ponta do Abunã e constatou a total precariedade de todos os veículos e também podem entrar e fotografar 09 carros abandonados na beira da estrada, inclusive com as portas abertas.

Em Vista Alegre do Abunã tem um ônibus parado a mais de um mês no mesmo local, segundo relatos de moradores, que tem um "sistema de travamento de porta ultra-moderno, como narrou um frentista do posto de gasolina da região, já que quando o ônibus operava, era preciso levarem dentro, uma viga de madeira para encostar a porta (COMO MOSTRA A FOTO ABAIXO), motorista e a monitora se revezavam para OPERAR A TRAVA MODERNA"

O problema segue sendo acompanhado de perto pelos órgãos de controle, sem, no entanto, terem suas determinações cumpridas pela administração municipal e também pelo DETRAN/PRF/PTRAN, já que todas as vezes que é para fiscalizarem e tomarem providências, sempre o secretário MARCIO FELIX consegue convencer a todos que "está tudo quase resolvido."

Fonte: 015 - Carlos Caldeira / NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias