Segunda-Feira, 29 de Julho de 2019 - 14:16 (MINHA HISTÓRIA)

L
LIVRE

EX-ALCOÓLATRA CONTA OS HORRORES CAUSADOS PELO VÍCIO: "SABIA QUE ESTAVA MORRENDO"

A americana Jessica Landon teve de superar uma hemorragia cerebral e várias recaídas até conseguir se livrar do vício que tinha 24 horas por dia


Imprimir página

O vício no álcool pode ter consequências desastrosas. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o álcool é responsável por 10% das mortes prematuras entre pessoas de 15 a 49 anos e por três  milhões de mortes por ano . E a ex-alcoólatra americana Jessica Landon, de 37 anos, quase se tornou mais uma vítima do consumo excessivo de álcool.

Depois de uma longa batalha contra o vício, Jessica Landon conseguiu deixar para trás seu passado como alcoólatra

Segundo o Daily Mail , ela se mudou para Los Angeles aos 19 anos para seguir seu sonho de se tornar atriz. Pouco tempo depois, porém, ela se torrnou  alcoólatra , consumindo bebidas em grandes quantidades em festas da Mansão da Playboy, onde também passava boa parte do tempo.

Menos de 10 anos depois, aos 26 anos de idade, ela consumia bebidas alcoólicas com tanta frequência que fazia questão de ter sempre uma garrafa de vodka em mãos a todo instante.

A luta da ex-alcoólatra para vencer o vício

E os esforços para parar de beber não pareciam surtir efeito. De acordo com o tabloide britânico, ela procurou ajuda em 2012, mas só conseguiu ficar sóbria por oito meses antes de sofrer uma recaída no começo de 2013.

"Eu conheci uma mulher que me deixou morar no sótão dela, e eu ficava lá bebendo 24 horas por dia", confessou. Mais tarde, no mesmo ano, ela caiu da escada e sofreu uma hemorragia cerebral, que teve de ser combatida na sala de cirurgia.

Apenas dois meses após se recuperar, Jessica sofreu outra recaída, ainda mais severa. Ela passou um mês na prisão por cometer várias infrações, como dirigir alcoolizada e consumir bebidas alcoólicas em público.

Quando foi solta, ela ficou sem teto até encontrar alguém que se dispôs a abrigá-la. "Eu deitei no chão dele e praticamente bebi até morrer", diz.

Àquela altura, sua condição física estava tão precária que ela mal conseguia se locomover. "Eu não podia me levantar para ir ao banheiro porque estava muito fraca, então eu fiquei deitada no mesmo lugar por um mês me urinando e me defecando", relata a ex-alcoólatra.

No ponto mais crítico de sua luta para parar de beber, o ácido de sua urina começou a corroer a pele dos quadris e do cóccix, o que causou uma infecção sanguínea por bactérias estafilococos.

Para pedir ajuda, ela ligou para uma conhecida e implorou por ajuda. "Eu sabia que estava morrendo e entrei em desespero", admite. No dia seguinte, a pessoa chegou com uma ambulância, e Jessica seria levada novamente para o hospital.

Lá, seu diagnóstico revelou uma taxa de 0,533 de álcool no sangue - em outras palavras, para cada 100 mL de sangue, Jessica tinha 53 gramas de álcool - e falência de múltiplos órgãos. Seu peso também estava muito abaixo da média: ela pesava apenas 35 kg quando deu entrada no hospital.

Para estabilizar sua situação, segundo o Daily Mail , ela precisou receber duas transfusões de sangue imediatamente e passar 16 dias na UTI. Depois, ela ainda ficou mais um mês no hospital e teve de reaprender a andar com fisioterapia.

Uma chance de recomeçar após o alcoolismo

Após deixar a vida como alcoólatra no passado, Jessica está esperando seu primeiro filho com o parceiro Matthew

Sobreviver à sua última recaída foi o ponto de virada para Jessica. Segundo ela, a mudança de vida veio a partir do momento em que a dor causada pelo álcool substituiu o prazer.

"Essa é a melhor forma de descrever o que aconteceu. A memória da dor ficou fresca na minha mente e eu não queria voltar para onde eu estava", reitera Jessica, que conseguiu parar de beber está sóbria há mais de cinco anos, desde o dia 3 de janeiro de 2014.

Agora, ela usa sua experiência com o lado ruim das bebidas alcoólicas para ajudar outras pessoas que querem melhorar seu estilo de vida. "Ajudar os outros é profundamente recompensador e cria um sentimento de pertencimento que eu acho saudável para a alma", declara.

E sua recuperação psicológica e espiritual foi acompanhada de uma recuperação da saúde física: depois de pesar 35 kg, ela agora está com 47 kg, e espera ter seu primeiro filho com o parceiro Matthew em dezembro, provando que há esperança mesmo no caso do alcoólatra mais extremo.

 

 

.

Fonte: https://saude.ig.com.br

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias