Sexta-Feira, 17 de Janeiro de 2020 - 17:35 (Educação)

L
LIVRE

ESCOLA PARTICULAR APLICA CONTEÚDOS DE EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA DO SEBRAE

Iniciativa marca a expectativa em preparar alunos para atividades empresariais.


Imprimir página

Nesta sexta-feira (17) a convite da diretora do Centro Educacional Cora Coralina, professora Francisca das Chagas Holanda Xavier (professora Chaguinha), o diretor superintendente do Sebrae em Rondônia, Daniel Pereira, foi na escola e apresentou a metodologia do projeto Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP) para aplicação no ensino fundamental. Esse primeiro passo na jornada procura incentivar os alunos a buscar o autoconhecimento e novas aprendizagens, além do espírito de coletividade. A ideia é que a educação deve atuar como transformadora dos estudantes e estimulá-los ao desenvolvimento das habilidades e dos comportamentos empreendedores. Nesta etapa da educação básica o JEPP é destinado a fomentar a educação e a cultura empreendedora. O curso procura apresentar práticas de aprendizagem, considerando a autonomia do aluno para aprender, além de favorecer o desenvolvimento de atributos e atitudes necessários para a gestão da própria vida.

Daniel apresentou o material didático utilizado para os alunos do ensino fundamental e a diretora foi muito receptiva à ideia. Os dois começaram a esboçar uma estratégia de atuação para trazer essa visão que vai ao encontro dos quatro pilares básicos da educação propostos pela Unesco que são: aprender a conhecer, a fazer, a viver juntos e a ser, via essencial que integra os três precedentes.

O diretor do Sebrae informou que o Centro Educacional Cora Coralina será a primeira escola particular a aplicar o JEPP e que sua escolha foi porque com mais de 30 anos no ensino em Porto Velho, o estabelecimento possui um ambiente propício à aprendizagem que favorece o envolvimento dos alunos. A proposta pedagógica do projeto é específica para cada ano do ensino fundamental que engloba atividades lúdicas, com um cenário de aprendizagem que sensibiliza os estudantes. Eles são motivados a assumirem riscos calculados com um olhar observador, para que possam identificar oportunidades de inovação mesmo em situações de desafio.

Fonte: 020-Assessoria/Mário Antônio Veronese Varanda.

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias