Quinta-Feira, 07 de Fevereiro de 2019 - 15:50 (Agricultura)

L
LIVRE

EMPRESÁRIOS ALERTAM PARA OS RISCOS DE INTERDIÇÃO DA BR-364

Para presidente da Fecomércio a questão deve ser tratada como emergencial


Imprimir página

Com a interdição da BR-364 na cabeceira da ponte sobre o córrego Andirá, nas proximidades da Fazenda Nova Vida, entre Ariquemes e Jaru, na noite desta quarta-feira, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), porque a ponte  cedeu, em razão das fortes chuvas na região, foi feita, apesar de existir um desvio que não garante trafegabilidade, a estrada se encontra  interditada, no km 464, sem previsão de liberação, mas, existem também pontos críticos nos quilômetros 501, 492, 444, 426 e 417, que chegaram a ser interditados, mas, foram liberados conforme a água baixou.

Trata-se de um problema recorrente na BR-364 que preocupa o setor empresarial tendo em vista o fato de que o colapso da BR-364, a única ligação terrestre de Rondônia, Amazonas e Acre com o restante do país, representa um grave problema para a economia desses estados e do Mato Grosso do Norte, de vez o escoamento de cerca de 5 milhões de toneladas de soja são feitas via esta rodovia federal.

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia, Raniery Araújo, afirma que a entidade tem solicitado, sistematicamente, solução para o problema, na medida em que a rodovia não resiste mais ao intenso tráfego, que mais que duplicou nos últimos 10 anos, e, que, apesar das promessas do governo federal de recursos para sua manutenção e duplicação da pista, o que se observa é que “Cresce o trafego, a manutenção tem sido precária e com o aumento do trânsito de bitrens a situação somente tem piorado, inclusive sobre o ponto de vista de acidentes e mortes”.

Para Raniery, a solução é a construção da Ferrovia da Soja, mas, “ainda assim, no curto prazo é preciso continuar melhorando a estrada, oferecendo maior segurança e garantir sua trafegabilidade”. A Fecomércio Rondônia, desde o ano passado, quando a rodovia apresentou problemas próximo a Riozinho, a entidade já havia se manifestado junto as autoridades e parlamentares pedindo rapidez na recuperação de uma estrada indispensável para a Amazônia Ocidental.

Os empresários do setor de supermercados, tem cobrado medidas efetivas e investimentos dos governos na melhoria da infraestrutura viária, em especial da BR-364, “É preocupante a interdição da BR-364 não apenas por causa dos efeitos econômico e sim, em especial, por razões de abastecimento das principais cidades da região”. Efetivamente, a grande maioria das cargas são de alimentos, bebidas, remédios e outros bens essenciais para a população.

A interdição provoca sérios problemas com a perspectiva, de que se estender por muito tempo, de provocar aumento de preços e crises de abastecimento de produtos. Por tal razão, em especial, é que o presidente Raniery Araújo pede uma solução urgente: “A interdição da BR-364 pode ocasionar desabastecimento e deve ser tratada como uma emergência para evitar o crescimento do problema”.

Fonte: 015 - assessoria

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias