Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018 - 14:51 (Colaboradores)

L
LIVRE

EMPRESA DONA DO COPACABANA PALACE É VENDIDA PARA GRUPO FRANCÊS CONTROLADOR DA LOUIS VUITTON

LVHM comprou a rede Belmond, que administra o Copacabana Palace, por US$ 3,2 bilhões.


Imprimir página

É uma daquelas uniões tão chiques que a gente até se pergunta como não tinha acontecido antes. O Copacabana Palace, mais célebre dos hotéis brasileiros, acaba de se juntar à LVMH, imensa família de marcas internacionais de alto padrão encabeçada pela Louis Vuitton. Aliás, toda a rede Belmond, detentora do nobre endereço carioca, pertence agora a Bernard Arnault, megaempresário francês que é um dos latifundiários do luxo mundial. A transação ficou em US$ 3,2 bilhões, dos quais US$ 2,6 bilhões são em ações e o restante em dívidas.

No Brasil a Rede Belmond também é proprietária do belíssimo Belmond Hotel das cataratas, em Foz de Iguaçu. E agora, será que os roupões do hotel e os baús terão as famosas iniciais LV?

O acordo é esperado que seja finalizado no primeiro semestre de 2019. Ainda tem de passar pela aprovação de acionistas e agências reguladoras.

Rede Belmond, proprietária do Copacabana Palace, um dos hotéis mais importantes do Rio de Janeiro, foi vendida para, vejam só, Bernard Arnault, controlador da LVMH, que possui marcas de alto luxo como a Louis Vuitton, Veuve Clicquot, Moët & Chandon e Fendi, pela bagatela de 3,2 bilhões de dólares.

A Belmond é dona de hotéis luxuosos pelo mundo, entre eles o Splendido, na Itália, e o Belmond Sanctuary Lodge, o único de Machu Pichu. A LVHM também tem outros equipamentos na área, como o Cheval Blanc, nos Alpes franceses, e a rede Bvlgari.

Outro sinal também é a recente possível venda de um galpão em Santa Teresa, por cerca de 1,5 milhão de reais.

Enquanto os investidores brasileiros fogem do mercado imobiliário, os estrangeiros estão fazendo a festa na cidade, investindo pesado pois sabem que o futuro do Rio é ainda mais brilhante como polo turístico.

O próprio nome do conglomerado, LVMH, já vem da fusão de Louis Vuitton com Moët Henessy, tradicional fabricante de bebidas premium.

A britânica Belmond atua em 24 países, administrando 46 hotéis de luxo e a compra ainda está sujeita à aprovação dos acionistas da rede e de órgãos competentes, mas a expectativa é de que a transação seja concluída já no primeiro semestre de 2019.

De acordo com o presidente do Conselho de Administração da Belmond, Roland Hernandez, após uma revisão estratégica que atraiu amplo e profundo interesse de diversas empresas ligadas ao luxo, a empresa concluiu que essa transação com a LVMH tinha um valor atraente e certo para os acionistas.

A dona da Louis Vuitton comanda ainda o Hotel Cheval Blanc, que fica na estação de esqui Courchevel, nos Alpes Franceses, e a rede Bvlgari.

“Esta aquisição aumentará significativamente a presença da LVMH no mundo da hospitalidade. Belmond oferece experiências únicas para os viajantes mais exigentes e possui uma série de ativos excepcionais nos destinos mais desejados”, explica Bernard Arnault, diretor-executivo da LVMH.

O icônico hotel, localizado em frente à Praia de Copacabana — um dos principais cartões-postais do Brasil —, abriu as portas em 1923. 

 


Fonte: Zecca Paim-NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias