Sexta-Feira, 15 de Março de 2019 - 13:45 (Política)

L
LIVRE

DOBRADINHA: MARCOS ROCHA E EYDER BRASIL DIZEM QUE VÃO REBATER INJÚRIAS COM MUITO TRABALHO

Ainda na área da economia, o gestor assegurou que não aumentará os impostos para os produtores e fornecedores. Segundo ele, é inviável realizar o aumento com a crise financeira que assola o país.


Imprimir página

O governador de Rondônia, Marcos Rocha (PSL) e seu líder na Assembleia Legislativa (ALE-RO), deputado Eyder Brasil (PSL), diretamente da cidade Ji-Paraná fizeram na noite de ontem (14) uma transmissão em rede social comentando sobre os projetos a serem desenvolvimentos nos mandatos bem como respondendo a algumas polêmicas sobre cargos em comissão no governo.

A temática do Turismo abriu o bate papo entre os dois. Rocha comentou da importância do setor turístico e de aproveitar as belezas naturais como chamativo para a população. Ele comentou ainda de um projeto onde os funcionários públicos são incentivados a viajarem cada vez mais, durante as férias, nos municípios de Rondônia.

“Em vez de comprarem passagens caras para fora do estado, eles podem usufruir do estado. Isso gera emprego e renda para a população. O estado vem procurando identificar com placas todos os locais que são turísticos para que todos passem a usa-los”, estacou o executivo.

Rocha comentou ainda que o Estado de Rondônia está com R$ 400 milhões de reais abaixo do orçamento necessário.  

“A única forma de trabalhar esse ano, para que não traga grandes impactos é rever toda a questão orçamentária. Já providenciamos um Projeto de Lei que traz condições para o estado trabalhar”, comentou.

Ainda na área da economia, o gestor assegurou que não aumentará os impostos para os produtores e fornecedores. Segundo ele, é inviável realizar o aumento com a crise financeira que assola o país.  

Obras de pavimentação em estradas também fizeram parte da conversa entre o governador e seu líder. “Nós vemos muitas estradas com problemas em Rondônia. Informo que o DER está levantando todos os pontos do estado, todos os locais que ficaram alagados, para que consigamos fazer o alteamento dessas estradas evitando possíveis problemas. Por em exemplo, em Guajará-Mirim, onde só tem a BR para transitar, vamos buscar o asfaltamento da estrada parque, em vez da estrada 420 correr o risco de fechar, vamos asfaltá-la fazendo com que Nova Mamoré e Guajará reduzam 60 km até Porto Velho”, anunciou o executivo.

Rocha e Eyder Brasil também falaram das polêmicas entorno do número de Cargos Comissionados que foram divulgados em sites de notícias. Segundo eles, setores da imprensa estão usando de má fé em divulgar dados errôneos. Ambos evitaram citar nomes de jornais, mais esclareceram que o número de comissionados é bem menor do que de funcionários de carreira.

“Tem uma mídia tendenciosa que fica lá colocando que são quatro mil cargos comissionados, mas se você for, realmente, pesquisar e levar a informação correta para a população em vez de manipulação do povo rondoniense contra o governo, vai ver que 60% desses cargos são cargos de carreira porque o governo tem que colocar pessoas de confiança em posições chaves”, defendeu Brasil.

“Houve uma má interpretação de que eu não iria mais criar cargos comissionados, através de lei. Todos os cargos que temos foram aprovados pela Assembleia no passado. Então, entenderam que eu ia congelar cargos, na realidade iríamos enxugar a máquina estatal”, acrescentou Rocha afirmando que vem buscando um equilíbrio para o executivo.

Por fim, Rocha disse que luta contra a corrupção. Ele comentou que não existem conchavos entre o executivo e o legislativo. “Não existem nenhum tipo de cargo comissionado que foi pedido ou cedido por algum deputado. Não existe isso, estamos trabalhando por uma Rondônia diferente, um país diferente (...) lembrando que àquelas pessoas que foram contrárias e que não querem a mudança, vão falar mal da gente. E espero que falem, falem muito, até a boca ficar torta”, concluiu Rocha sendo acrescentado por Brasil: “A nossa conduta não é rebater. A gente vai rebater essas injúrias, calúnias, com muito trabalho. E é isso que temos feito”. 

Fonte: NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias