Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019 - 15:15 (Geral)

L
LIVRE

DETRAN RONDÔNIA PREPARA REPORTAGENS ESPECIAIS EM COMEMORAÇÃO AOS 33 ANOS DE CRIAÇÃO

Coronel Neil Gonzaga, disse que nos últimos 13 anos a frota de Rondônia aumentou mais de 300%, os investimentos e tecnologias e infraestrutura foram fundamentais para acompanhar esse crescimento


Imprimir página

Eleni Caetano
Fotos: Ivi Fideles/Edie Cruz

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a frota de veículos automotores do Estado de Rondônia em 2006 era de 325.221, passando para 1.001.524 veículos em 2019. O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de Rondônia, que completa nesta quinta-feira (21) 33 anos de criação, teve que investir em infraestrutura e em tecnologias para acompanhar o crescimento da frota que aumentou mais de 300% nos últimos 13 anos.

O diretor geral do Detran de Rondônia, coronel Neil Gonzaga, disse que a autarquia está presente em todos os municípios do Estado. “Trabalhamos incansavelmente para melhorar ainda mais o sistema, em 2006 tínhamos uma frota de 325 mil veículos e hoje passa de um milhão, um crescimento acima da média nacional”, disse o diretor geral do Detran.

É importante destacar que nessas três décadas, além do aumento da frota, houve muitas mudanças na legislação de trânsito, visando preservar a vida humana nas estradas país a fora.

Coronel Neil Gonzaga, que é especialista em trânsito, disse que existe um esforço mundial para reduzir as mortes no trânsito, exemplo da Década de Ação pela segurança no Trânsito que vai de 2011 a 220, onde governos de vários países, entre eles o governo brasileiro, se comprometeram em intensificarem medidas para prevenir acidentes no trânsito, que ceifam a vida de 1 milhão de pessoas por ano no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Maria do Carmo agradeceu os 33 anos do Detran e pelo aprendizado todos os dias

As lesões causadas pelos acidentes de trânsito são as principais causas de mortes entre crianças e jovens com idade entre 5 e 29 anos. Segundo relatório da OMS, mais da metade das mortes ocasionadas em virtudes de acidentes de trânsito tem como vítimas usuários mais vulneráveis, sendo eles pedestres, ciclistas e motociclistas. Em Rondônia, essa realidade não é diferente, a maioria dos pacientes que dão entrada no Hospital e Pronto Socorro João Paulo II é motociclista.

Nesses 33 anos do Detran Rondônia, os servidores tiveram um papel fundamental e como forma de homenageá-los estamos contando um pouco a história de alguns personagens, é o caso da agente administrativa Maria do Carmo Costa Miranda, que era da secretaria de Agricultura e veio para o Detran cedida através de um decreto. “O Detran pra mim representa muito, foi o órgão que me acolheu e depois optei por fazer parte do quadro de servidores”, afirmou a servidora Maria do Carmo.

Nesses anos todos que estou no Detran, houve muitas mudanças e todas foram para melhorar tanto para o usuário quanto para os servidores, com a implantação do sistema de informática. Documentos levavam 15 dias para serem emitidos e, agora, sai em questões de minutos; a parte de estrutura do Detran na capital e no interior também houve muitos investimentos.

Maria do Carmo aproveitou para agradecer o Detran, “nesses 33 anos que estou aqui, passei por várias diretorias e só tenho que agradecer aos colegas e os chefes, um verdadeiro aprendizado, apesar de eu ter passado para o quadro federal quero continuar aqui no Detran, não quero sair de jeito nenhum”, finalizou sorrindo.

José Amaral tem 33 anos de Detran e nunca faltou ao trabalho

José Amaral da Fonseca começou a trabalhar no Detran em 01 de março de 1986 e foi por acaso, “eu fui no Detran para tirar a minha CNH e lá encontrei um amigo que me perguntou, o que está fazendo aqui Amaral? – Eu disse que vim tirar minha carteira. – E ele perguntou está trabalhando?, respondi – Não estou desempregado. Imediatamente disse que no Detran tinha vaga e eu mais que depressa disse que aceitava o trabalho e ele falou assim, então nem vai pra casa, já fica ai para trabalhar que depois você providencia a documentação e desde então trabalho no Detran há 33 anos”, falou orgulhoso José Amaral.

Depois de trabalhar como celetista por um período, José Amaral fez concurso público para o cargo de artífice/eletricista e foi aprovado sendo efetivado no quadro de servidores do Detran. Ao finalizar a entrevista, José Amaral fez questão de agradecer aos amigos e colegas de trabalho e fez um agradecimento especial à família que é a sua base maior de vida.

Maria Aparecida Izidoro dos Santos começou a trabalhar no Detran Rondônia em 01 de outubro de 1987, “eu fui contratada pela prefeitura de Ariquemes e cedida para o Detran”, disse Maria Aparecida explicando que naquela época era normal esse tipo de situação tendo em vista que o Detran ainda não tinha o seu quadro próprio de servidores.

Em 01 de março de 1988 passei a compor o quadro por meio da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) como agente administrativa, “em todos esses anos trabalhando no Detran pude acompanhar a evolução do órgão e, nesse período, eu posso dizer que profissionalmente que cresci junto com o Detran”, ressaltou.

Maria Aparecida Izidoro entrou no Detran em outubro de 1987 e tem orgulho de fazer parte da história do órgão

Maria Izidoro já ocupou inúmeras funções no Detran, já atuou na parte administradora, no  prontuário de veículos, no financeiro, no setor de estatística, no cargo de chefe de sessão de pessoal, na assessoria de controle interno, na comissão de leilão, foi chefe de Ciretran em Porto Velho, diretora executiva de operações, gerente de leilões, trabalhou na corregedoria e atualmente está no cargo de diretora Técnica de Veículos.

Ela também lembrou com saudosismo do 2º Encontro de Ciretrans e Postos Avançados realizados pelo Detran no período de 21 a 23 de julho de 1989 na cidade de Cacoal, “naquela época tudo era mais difícil e quando tinha esses encontros era muito importante para a troca de informações e experiências entre nós servidores”, lembrou.

Outro fato importante lembrado pela servidora foi a posse dos concursados do primeiro concurso público do Detran, que se deu no último dia útil do ano de 1994. “As pessoas que tinham sido aprovadas no concurso chegaram cedo à sede do Detran para tomarem posse, na ocasião eu recepcionava e providenciava toda a documentação desse pessoal. Como estava em processo de virada de ano e de mudança de governo, o Decreto dando posse aos aprovados não saia e as pessoas ali aguardando o rito da posse e eu sensibilizada com aquela situação resolvi esperar junto com eles, mas meu filho Rafael, na época, tinha apenas seis meses de vida, mandei trazer o menino para o Detran e no finalzinho do dia o Decreto foi publicado. Eu costumo dizer que eu e o Rafael conseguimos realizar o sonho daquelas pessoas que aguardavam ansiosas para serem empossadas e, no apagar das luzes, o sonho se tornou realidade”, disse Maria Aparecida.

Maria disse que existem muitas histórias marcantes que envolvem o Detran, mas essa, especificamente, marcou bastante a sua trajetória com a autarquia, hoje Rafael Izidro tem 26 anos e é servidor concursado do Detran, foi aprovado no concurso de 2014.

Fonte: Secom/gov-ro

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias